Últimas

Tite aceitou comandar seleção antes de acertar salário

Tite já deixou o Corinthians, mas ainda não definiu o seu salário na CBF.

Nesta quinta (16), o novo técnico da seleção vai se reunir com o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, para fechar os últimos detalhes da contratação.

A remuneração do treinador será um dos temas do encontro.

“Ainda não falaram sobre isso [dinheiro]. Mas não vai ter problemas para fechar o acerto”, afirmou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

Na terça (14), Tite se reuniu na sede da confederação com Del Nero por cerca de três horas. No dia seguinte, o presidente do Corinthians, Roberto Andrade, anunciou a saída do treinador do clube. O dirigente não escondeu a irritação com os cartolas da CBF e disse ter ficado “puto” com a atitude de Del Nero.

Como faz há mais de duas décadas, a confederação não vai apresentar um proposta como a dos clubes, que faz contrato com cláusulas altas em caso de quebra de acordo.

A CBF vai assinar a carteira de trabalho do treinador, como um funcionário normal.

Na seleção, Tite deverá receber quase o mesmo salário de Dunga, demitido na terça após o fiasco da seleção na Copa América. Dunga ganhava cerca de R$ 600 mil por mês.

Responsável por comandar a seleção no Mundial de 2014, Luiz Felipe Scolari recebia quantia parecida. Ao deixar o cargo após a pífia campanha na Copa, Felipão embolsou R$ 4,1 milhões da CBF contando a rescisão contratual na carteira de trabalho, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e a multa pela demissão paga pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

No encontro nesta quinta, Tite já vai começar a planejar a preparação para o jogo de estreia nas eliminatórias. será contra o Equador, em setembro, fora de casa.

Tite foi contratado por Del Nero com a missão de classificar o time nacional para a Copa da Rússia.

O time está fora da zona de classificação. A equipe está em sexto. Apenas os quatro primeiros se classificam.

O ex-corintiano abriu mão de comandar o time na Olimpíada. Treinador da seleção sub-20, Rogério Micale ficou com a responsabilidade de conquistar a inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos.

A opção da CBF por Tite surpreendeu. Crítico de Del Nero, o treinador já havia recusado o convite outras vezes. Em dezembro de 2015, ele assinou um documento que pedia a renúncia imediata do cartola.

O secretário-geral da CBF disse que a participação de Tite no protesto não teve a “menor importância”.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook