Viviany Beleboni depõe em São Paulo e recebe apoio de manifestantes

Viviane Beleboni (Foto: Celso Tavares/EGO)Viviany Beleboni chega à delegacia para depor, nesta terça-feira, 21, em São Paulo (Foto: Celso Tavares/EGO)

Viviany Beleboni prestou depoimento na 78° Delegacia do Estado de São Paulo nesta terça-feira, 21, por causa de performance feita durante a 19ª Parada Gay de 2015, quando saiu em um trio elétrico simulando uma crucificação.

Não é o primeiro processo que Viviany vai ter de responder por causa da manifestação. De acordo com a advogada da modelo, Cristiane Leandro de Novaes, desta vez foi a Associação das Igrejas Evangélicas que solicitou esclarecimentos ao Ministério Pùblico para apurar se houve alguma conduta criminosa na performance.

Manifestantes fizeram questão de prestar apoio a Viviany na porta da delegacia e chegaram até a criar um evento no Facebook, em que 200 pessoas confirmaram presença. Luís Arruda, militante da causa LGBT, acha uma hiprocrisia o processo contra a modelo. “Neymar, Madonna já se crucificaram e nada fizeram. Só porque ela é  uma travesti. Isso em nome de uma religião que muitas pessoas ganham dinheiro em cima”, disse ele.

Viviany Beleboni (Foto: Celso Tavares/EGO)Viviany Beleboni chegou à delegacia acompanhada
do padre Júlio Lancellotti (Foto:Celso Tavares/EGO)

Agripino Magalhães, outro manifestante,  chegou cedo para apoiar Viviany. “Não é  justo, estamos num país democrático. Ela tem direito de se manifestar de várias maneiras, ainda mais que era a Parada, onde todo mundo vai com esse intuito”.

Modelo voltou a protestar na Parada Gay de 2016
Viviany Beleboni voltou a se manifestar na Parada Gay deste ano. Vestindo um look que faz referências à Justiça e com uma reprodução da Bíblia nas mãos, ela conta que pensou na fantasia no ano passado, após sofrer críticas de religiosos.

“No ano passado fui muito perseguida e vários religiosos me atacaram pela minha manifestação. Não estou atacando e nem criticando religião alguma. Gosto do espiritismo e do candomblé e sei o quanto as religiões podem fazer o bem. Quem me atacou não quer o bem do outro e é pra eles a minha fantasia, pra mostrar que muitas vezes a justiça e as religiões interferem no bem dos outros. Temos que viver bem e deixar que os outros vivam bem também. Estou mandando recado para os religiosos”, dispara ela.

Logo que chegou, a modelo transexual foi muito abordada para tirar fotos com quem estava na manifestação. “É uma delícia receber o reconhecimento das pessoas, a torcida delas, muitos dizendo que eu os represento, que o que faço é importante”, falou ela.

Viviany Beleboni na delegacia (Foto: Celso Tavares/EGO)Viviany Beleboni e o padre Júlio Lancellotti (Foto: Celso Tavares/EGO)
Agripino Magalhães e Luis Arruda (Foto: Celso Tavares / EGO)Agripino Magalhães e Luis Arruda foram para a porta da delegacia para apoiar Viviany (Foto: Celso Tavares / EGO)
Tchaka, drag queen, na delegacia (Foto: Celso Tavares/EGO)Tchaka, drag queen, também foi apoiar Viviany (Foto: Celso Tavares/EGO)
A drag queen Tchaka, na delegacia (Foto: Celso Tavares/EGO)A drag queen Tchaka, na delegacia (Foto: Celso Tavares/EGO)

Delegacia onde Viviany Beleboni presta depoimento (Foto: Celso Tavares / EGO)Delegacia onde Viviany Beleboni presta depoimento (Foto: Celso Tavares / EGO)

 

Delegacia onde Viviany Beleboni presta depoimento (Foto: Celso Tavares / EGO)Delegacia onde Viviany Beleboni presta depoimento (Foto: Celso Tavares / EGO)
Viviany Beleboni 'crucificada' na Parada Gay (Foto: REUTERS/Joao Castellano )Viviany Beleboni durante manifestação na Parada Gay de São Paulo em 2015 (Foto: REUTERS/Joao Castellano )

 


Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook