Últimas

Zé Ricardo supera Muricy Ramalho e dá nova cara ao time do Flamengo

Técnico interino tem aproveitamento superior ao do ex-comandante e conseguiu organizar a equipe dentro de campo

É inegável a mudança de postura do Flamengo neste início de Brasileirão. O time que passou por um primeiro semestre complicado hoje dá mostras de que pode evoluir e sonhar com um futuro mais bonito no final do ano.

 

Até onde pode ir esse time ainda é cedo para dizer mas que o trabalho do técnico Zé Ricardo vem sendo bem feito isso não há dúvidas.

 

Mesmo diante da indefinição sobre o seu futuro, o técnico interino tem dado a sua cara ao time. Um Flamengo mais competitivo, mais falante e mais compactado dentro de campo.

 


(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

 

Em sete jogos, são quatro vitórias, duas derrotas e um empate. Em números são aproximadamente 62% de aproveitamento à frente da equipe e, até o momento, o quarto lugar na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

 

Confira os números do Flamengo de Zé Ricardo:

 

 

Mas o trabalho de Zé Ricardo vai além dos números apresentados. O treinador teve coragem de barrar os gringos Cuéllar e Mancuello, que foram contratados a peso de ouro no início do ano e com status de titular. 

 

Recuperou o lateral-esquerdo Jorge, que começou o ano com atuações bem abaixo do que poderia render, conseguiu ajustar o sistema defensivo mesmo com a chegada de dois novos atletas, e deu a Alan Patrick a responsabilidade de ser o “criador” das jogadas no meio-campo.

 


(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

 

E o mais importante, o novo treinador tem o apoio de grande parte da torcida e devolveu o otimismo aos rubro-negros.

 

As diferenças entre o trabalho do inexperiente Zé Ricardo com o de Muricy Ramalho é bem perceptível. Com o ex-treinador o time era mais lento e menos compactado. Os jogadores ficavam muito distantes, principalmente o trio de ataque, dificultando as finalizações e as chegadas dos jogadores de meio-campo.

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

Willian Arão ficava sobrecarregado no meio-campo, com a obrigação de marcar e armas as jogadas praticamente sozinho. Os laterais ficavam mais presos na marcação e pouco eram acionados no ataque. 

 

E um dos fatores mais importantes, o emocional dos atletas que parecia sempre estar abalado. Dificilmente a equipe conseguia revertar um resultado. Diferente do que vem sendo apresentado neste inicio de Brasileirão, mesmo quando está trás no placar o time não desiste e continua em busca do gol.

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

Esses fatores e mais a confiança dos atletas favorecem a efetivação de Zé Ricardo, mas por enquanto a diretoria prefere seguir com o discurso de que ele é o treinador até a próxima partida. Mas se os resultados continuarem aparecendo vai ficar difícil ir contra a lógica.

 

No próximo domingo, o interino tem o primeiro clássico à frente da equipe, o Flamengo encara o Fluminense na Arena das Dunas, em Natal, pela décima primeira rodada do Brasileirão. 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook