Últimas

► Tenente-coronel explica motivo do confronto entre torcedores do São Paulo e PM

Gonzaga disse que confusão começou porque membros da organizada Independente estavam tentando roubar torcedores comuns

O clima já era ruim quando mais de 60 mil são-paulinos que compareceram ao Morumbi viram o Tricolor perder por 2 a 0 para o Atlético Nacional, na última quarta-feira (6), pelo jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores da América. Na saída do Morumbi, porém, a coisa ficou pior por conta do cenário de guerra ao redor do estádio.

Torcedores do São Paulo entraram em confronto com a Polícia Militar, que foi alvo de diversas garrafas de vidro, pedras, pedaços de madeira e rojões. Após a chegada de um reforço policial em frente à Praça Roberto Gomes Pedrosa, os policiais tentaram dispersar a confusão com bombas de efeito moral.

Três torcedores feridos foram atendidos no ambulatório do Cícero Pompeu de Toledo e depois acabaram liberados.

 “Todos com ferimentos de baixa complexidade. Dois com ferimentos de bala de borracha e um pisou em um caco de vídro. Todos foram tratados com analgesia e liberados”, relatou Pedro Batista Júnior, médico do ambulatório do estádio.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
As imagens da derrota do SP | Bauza critica expulsão | Maicon: De herói a vilão


Ao todo, nove pessoas foram detidas e 12 policiais ficaram feridos. Após o fim da confusão, o tenente-coronel Gonzaga, comandante do policiamento no estádio, explicou o motivo do confronto.

“Pelas imagens, foram torcedores da organizada Independente que estavam do lado de fora do estádio. Eles pegaram garrafas e começaram a jogar na torcida que estava saindo. Começaram a agredir e furtar torcedores comuns. Assim começou a confusão. Começou no Portão 6, e posteriormente se dispersou para frente do estádio. Há vários policias que tomaram sutura, um foi atingido na perna por um rojão”, explicou.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook