10 motivos para acompanhar o futebol no Rio 2016

Em busca do ouro inédito, seleção olímpica pode resgatar o sentimento dos torcedores

A 30 dias da abertura da primeira Olimpíada do Brasil, a Seleção enfim terá a oportunidade de conquistar o tão sonhado ouro na competição. E apesar de muitos torcedores terem perdido a empolgação com o futebol brasileiro, o momento pode ser diferente e resgatar um pouco a identificação e paixão.

Por esse motivo, a Goal preparou 10 motivos para acompanhar o futebol na Rio 2016, que terá início um dia antes da abertura oficial, com a bola rolando no dia 4 de agosto.


OS 10 MOTIVOS


A reconstrução do futebol pós-vexame na Copa América: O 7 a 1 sofrido pela Alemanha não serviu para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) acordar e fazer mudanças – elegeu Dunga como o treinador -, mas bastou ser eliminado pelo Peru, na primeira fase da Copa América, em um grupo que ainda tinha Equador e Haiti, para enfim tomar uma atitude e decretar a chegada de Tite para a seleção principal e Micale para a Olimpíada.


Lateral-esquerdo do Atlético-MG, Douglas Santos é um dos garotos que podem fazer a diferença (Foto: Bruno Cantini – Atlético)

Bons valores jovens: A Seleção chega para a Olimpíada com talentos promissores, como os nomes de Marquinhos (PSG), Rodrigo Caio (São Paulo), Felipe Anderson (Lazio), Douglas Santos (Atlético-MG) e Gabigol (Santos).

Ouro inédito conquistado no país: O apoio da torcida será importante para esses jogadores terem a chance de alcançar o único título que ainda falta ao país na modalidade. Depois de muitas decepções, essa geração pode marcar o nome na história do futebol brasileiro.

Perda de poder da CBF: Tite deixou claro que não queria dirigir a seleção durante a Olimpíada, e aceitou o nome de Micale, apesar de não ser 100% do agrado do presidente Marco Polo del Nero.


Neymar é o principal nome e líder da seleção (Foto: Getty Images)

Gabriel Jesus: O jovem atacante é cobiçado por grandes clubes da Europa como, por exemplo, Real Madrid e Barcelona, e deve dar adeus em breve ao Palmeiras e ao futebol brasileiro.

Neymar: Líder da seleção principal, o craque do Barcelona é o principal nome da lista, que entrou em um acordo com o clube espanhol para poder atuar na competição. O jogador pode guiar os mais jovens e ajudar ao conquistar o ouro inédito.

Micale: O treinador já vinha dirigindo a seleção brasileira olímpica desde 2015, quando substituiu Alexandre Gallo. Era ele o técnico da equipe sub-20 na campanha do vice-campeonato mundial da categoria e também no bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Seu trabalho merece destaque, e a sua escolha foi acertada para comandar a equipe na Rio 2016.


Micale ao lado de Tite (Foto: Lucas Figueiredo – Mowa Press)

O resgate da identificação: Após tantos vexames dentro de campo com a seleção principal e escândalos de corrupção na CBF, a equipe olímpica ainda possui simpatia e apoio do torcedor, e pode resgatar ainda mais esse sentimento, dando a sensação que as coisas podem mudar no futebol brasileiro.

“Volta Copa”: O gostinho da sensação do “volta Copa”, com o clima nas ruas e nas cidades. Muitos torcedores estão comprando ingressos com o objetivo de matar um pouco a saudade de 2014, apesar da grande decepção com a Seleção Brasileira.

Grupo mais fácil na 1ª fase: A seleção teoricamente terá um grupo mais tranquilo pela frente. de chave do grupo A, o Brasil enfrenta Iraque, África do Sul e Dinamarca na primeira fase da campanha pelo inédito ouro olímpico.

Confira a tabela do Brasil na 1ª fase

Grupo A:

4 de agosto: Brasil x África do Sul, em Brasília, às 16h (Brasília)

7 de agosto: Brasil x Iraque, em Brasília, às 16h (Brasília)

10 de agosto: Brasil x Dinamarca, Salvador, às 22h (Brasília)


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook