Últimas

China in Goal: Não é só dinheiro! O que mais atrai as estrelas do Brasil e do mundo para a China?

Não é só o quesito financeiro que faz com que os jogadores se mudem para o futebol chinês. Demba Ba, por exemplo, se mudou para o local em busca de novo desafio

É difícil apontar outros atrativos, além do econômico, para um jogador se mudar para o futebol chinês. No Brasil, quando Ricardo Goulart, Diego Tardelli, Renato Augusto e Jadson receberam propostas do país, a resposta foi praticamente a mesma e remetia à “independência financeira”. No entanto, o que faz com que os atletas deixem a Europa rumo à Ásia? O China in Goal tenta responder.

A coluna estabeleceu contato com Alexandre Gontran, empresário de Demba Ba, do Shanghai Shenhua, para explicar por que o atacante de 31 anos, com passagens por Chelsea e Besiktas, optou por se mudar para a Chinese Super League.

“Ele tinha terminado a primeira temporada com o Besiktas e marcou 27 gols. E vários clubes vieram até mim para saber a situação do Demba. Ele estava muito feliz em Istambul, mas ele queria um novo desafio para a sua carreira. Clubes da Premier League me perguntaram sobre Demba, mas ninguém quis pagar os 13 milhões de euros exigidos na transferência. E então o Shanghai Shenhua nos ofereceu uma nova oportunidade para ele. Eles mostraram o maior interesse pelo Demba. Ofereceram um grande contrato para a sua carreira e quiseram construir um time em cima dele”, disse.


(Foto: Imago)


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Diego Tardelli de volta (mas não) | China: os maiores salários | Mais CHINA IN GOAL


“A Chinese Super League está crescendo muito rapidamente e grandes jogadores foram contratados para fazer com que seja ainda melhor. Ele poderia se tornar o artilheiro da Liga se, infelizmente, não tivesse se machucado. Ele será na próxima temporada”, acrescentou.

O representante do senegalês não é o único a apontar a melhora da Chinese Super League. Joseph Lee, tailandês que reside no Brasil há 36 anos, é um dos responsáveis por levar jogadores à China. Ele, por exemplo, participou ativamente nas transações de Diego Tardelli, Ricardo Goulart e Renato Augusto. O agente explica por que os asiáticos buscam atletas do exterior.

“Hoje se fala deste “boom” do futebol chinês, mas desde 1995, quando se profissionalizou o futebol na China, eles já admiram o futebol estrangeiro. O jogador brasileiro, por exemplo, é muito interessante”, afirmou à TV Band.

Mas o que faz com que o Brasil se torne um dos alvos, mesmo com a possibilidade de levar atletas que fazem sucesso na Europa? “O futebol chinês, fisicamente, tem a ver com o brasileiro. Com esse físico, você quer jogar contra time europeu, você tem que ter técnica boa, ginga. Isso é o que o Brasil tem. O brasileiro é um povo mais aberto, mas fácil de aceitar esse ambiente novo. Eu sempre prefiro trabalhar com jogador brasileiro. Se um dia eu não encontrar alguém no Brasil, vou trabalhar com outro lado”, concluiu o agente.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook