Últimas

Cinco Estrelas: Mano Menezes: 2 meses para o céu ou para a rua

“O #FechadoComOMano de hoje tem curta duração. Aproximadamente 2 meses. Renovável com bons resultados, é verdade. Mas, vide o exemplo de Marcelo Oliveira, bastarão 2 meses compl…



GOAL Por João Henrique Castro


Prezado Mano,

Eu poderia intitular a coluna de hoje como “carta aberta a Mano Menezes”, mas seria piegas demais. Além disso, não quero te avisar de nada que você já não conheça. Mas a reflexão sempre é válida e o exercício da escrita sempre ajuda a botar as ideias no lugar.

Você está de volta após 7 meses da aventura na China. Ao contrário de muitos, eu não te julguei. É seu direito profissional tomar a decisão que tomou. Na época, muitos o criticaram dizendo que o Cruzeiro tinha um projeto para você. Mas aqui não temos projeto, Mano. E você sabe!

Já tínhamos dado o exemplo na demissão de Marcelo Oliveira. O cara era bicampeão brasileiro, perdeu a Libertadores para o campeão, uma semifinal de estadual após um erro grave da arbitragem e rua! Parte da torcida que em dezembro comemorava mais um título nacional em maio pedia a cabeça do técnico que não era bom em mata-mata. Diagnóstico “certeiro” e “confirmado” pela conquista da Copa do Brasil pelo Palmeiras meses depois.

Marcelo Oliveira: bi brasileiro e demitido (Foto: Getty Images)

No tempo que você esteve na China, o Cruzeiro teve dois técnicos. Deivid, o “estagiário” e Paulo Bento, “o estrangeiro.” A nossa diretoria, e parte significativa da nossa torcida, lançou hasthag de apoio “#FechadoComODeivid e #FechadoComOPauloBento para ambos. Também criticou a mídia “do eixo” e “galinácea” que questionava estes nomes no início do trabalho.

Mas com os dois bastaram 2 meses de jogos, vaias no estádio, pressão nas redes sociais e mesmo no Centro de Treinamento e veio a demissão.

Não se engane, Mano. (E tenho certeza que você não se engana). Poderia ter sido com você. O #FechadoComOMano de hoje tem curta duração. Aproximadamente 2 meses. Renovável com bons resultados, é verdade. Mas, vide o exemplo de Marcelo Oliveira, bastarão 2 meses complicados para acabar.

A nossa torcida gosta de você. Porém muita gente elogia suas falas, mas não te escuta. A diretoria também não. Semana passada você foi ao Bem Amigos e disse que não havia tempo suficiente para avaliar o trabalho de Paulo Bento. Na semana seguinte, o clube te buscou de volta.

Eu não quero te assustar, Mano. (E tenho certeza que você já sabe disso tudo). Até porque estou otimista. Nos 2 meses que virão, que podem te levar ao céu ou à demissão, temos boas razões para acreditar.

Mano não herdará terra arrasada nesta segunda passagem (Foto: Lucas Uebel/Light Press/Cruzeiro) 

Você terá um time inteiro à disposição que nem Deivid nem Paulo Bento (no início do trabalho) tiveram. Até goleiro, já que Elisson está de volta. Gente que agora deixa o Departamento Médico ou começa a entrar em forma. Dá até para escalar (e com reservas): Elisson; Lucas (Ezequiel), Manoel, Dedé e Edmar (Bryan); Denilson, Rafinha, Robinho e Marcos Vinicius; Ábila e Sobis. Melhor que o time do primeiro semestre, não é?

Allano, que foi seu titular ano passado, nem está mais aqui. Sanchez Mino, Rafael Silva e Riascos também não. Você não será pressionado para escalá-los porque “acabaram de chegar e merecem uma chance”. E posteriormente fritado por insistir com eles. Pelo contrário, terá opções bem melhores.

Além disso, o time já vinha jogando razoavelmente bem (perdendo muitos gols e com inconsistência defensiva). Você não começará do 0. Aliás, parte de um ponto bem melhor do que o do ano passado deixado por Luxemburgo (e que você, nas entrelinhas, expôs o quanto era mal treinado).


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Mano e os milhões da China | “Mano representa muito” | Os técnicos demitidos no Brasileirão


O Cruzeiro hoje é uma oportunidade de ouro para um treinador, Mano (e tenho certeza que você sabe). O elenco foi recentemente qualificado e vai render mais. É uma questão de tempo. Mas, infelizmente, precisamos que seja rápido!

Você não terá tempo para tropeços, até porque ninguém tem. São 2 meses para o céu ou para rua, Mano. Não é que eu pense assim, mas é como nossa diretoria age. Na torcida para que tudo se encaixe rápido. Até porque o seu “fracasso” (é assim que chamam um trabalho interrompido em 2 meses) significaria nossa queda. Estamos juntos para escapar dessa.

Atenciosamente.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook