Últimas

Disputa pela prefeitura de Penedo: Como fugir dos boatos eleitorais?

O ministro de propaganda nazista, Joseph Goebbels, ficou marcado na história quando explicou como alienava a população alemã. Através do controle dos meios de comunicação, do cinema e da literatura, Goebbels afirmou que “uma mentira muitas vezes repetida, torna-se verdade”.

O foco da discussão aqui não é o Nazismo. Ainda bem. Porém, é possível realizar um paralelo entre o que Goebbels falou e o que anda acontecendo nas pré-campanhas eleitorais dos grupos que irão disputar o cargo majoritário.

As redes sociais é uma das grandes fontes que alimentam as mentiras e os ataques contra as candidaturas. No Facebook, já existem páginas comprometidas em defender e provocar certos candidatos.

É perceptível que a polarização entre os grupos Toledo e Beltrão ainda é o centro das discussões entre os membros das redes sociais. O comparativo entre as administrações é o que acirra ainda mais o debate.

Seria extremamente proveitoso se as páginas utilizassem apenas a comparação e o bom debate nesta disputa. Contudo, há imensas distorções da realidade e muitas mentiras que são proferidas tanto de um lado quanto do outro.

O maior pecado é a utilização de frases que não aconteceu. O caso mais recente foi a suposta afirmação que o atual prefeito MB, disse no Programa Realidade que era contra o concurso público pois os funcionários concursado só atrapalha a administração.

Confesso que não escutei o programa, mas que entrei em contato com algumas pessoas que desmentiram o fato. Não precisa ir longe para saber que em pleno o período eleitoral algum prefeito em sã consciência iria falar algo deste tipo. (O caso em questão é considerado boato até que eu receba alguma gravação do programa em que o Prefeito tenha dito isto)

Do outro lado, há a informação que o atual deputado-estadual, Alcides Andrade, tenha dito que a débito é herança maldita da gestão Toledo/Saldanha. Até o momento, desconheço a veracidade. (até que sejam apresentadas as provas)

O que é preciso é que os movimentos que sustentam as candidaturas em questão defendam o seu projeto, sem ataques e sem boatos. Não sou adepto desta política agressiva. Contudo, como é difícil evitar, nada mais justo que “matar a cobra e mostrar o pau”, ou seja, ao menos que a fonte seja divulgada e os eleitores possam buscar a veracidade dos fatos.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook