Últimas

Elder Lins Teixeira: A busca pela renovação

Por Elder Lins Teixeira

Consultor e professor emérito da UPE

Falando sobre a atual conjuntura nacional, o ministro do STF Luis Roberto Barroso fez recentemente a triste constatação de que “corrupção, sonegação, lavagem de dinheiro passaram a ser a espantosa regra”, complementando ainda: “o errado virou a regra e todo mundo passou a operar nessa regra”. Essas afirmativas, retratando uma realidade que vem sendo denunciada por ocorrências que se repetem e muitas vezes se complementam, nas esferas de governo Municipais, Estaduais e Federal, nos fazem lembrar a célebre frase de Rui Barbosa proferida há pouco mais de um século no Senado Federal: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. 

Apesar de o lapso de tempo entre os dois pronunciamentos nos fazer acreditar que a cultura da corrupção entranhou-se em nossa realidade, inspirando até ditos populares do tipo que incentiva a se tirar vantagem em tudo, ao invés do desânimo e da vergonha da honestidade, é preciso que entendamos que o momento atual, caracterizado por denuncias, apurações e condenações, é propício à busca de uma renovação que leve, de forma exemplar, a que os governantes não realizem mal feitos apenas pelo medo da punição mas simplesmente porque são mal feitos. 

O regime democrático mostra que o caminho das urnas é o meio a possibilitar essa renovação, menos geracional, pois muitos dos mais novos já se encontram contaminados pela cultura política dominante, e muito mais pela correta escolha dos candidatos a serem eleitos, avaliados por seu passado e pelo engajamento nas causas republicanas. Contudo é necessário um pouco mais: que cada um utilize a tribuna disponível para fazer reverberar a indignação com o atual estado de coisas, a exemplo das manifestações públicas que tem denunciado atores de práticas incorretas e apoiado os movimentos de consolidação da verdadeira cidadania. É voz comum no meio administrativo que as crises geram oportunidades e o difícil momento em que vivemos pode e deve ser aproveitado para superar as seculares afirmativas acima referidas, deixando-as para as novas gerações apenas como uma triste memória histórica.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook