Faixa contra CBF, reclamação do Luciano e superação – Repercussão de Chapecoense 0 x 2 Corinthians

Rodriguinho disse que foi preciso vencer uma “guerra” em uma partida com detalhes extra-campo importantes

A vitória do líder Corinthians contra a Chapecoense, por 2 a 0, foi um ótimo resultado para o time alvinegro, principalmente por ter sido na Arena Condá. Ninguém tinha batido o time da casa lá neste Campeonato Brasileiro. Os jogadores disseram que foi preciso muita superação para vencer uma “guerra”. Mas o jogo também ficou marcado por algumas questões extra-campo.

O que chamou mais atenção é que o jogo foi paralisado no 1º tempo porque a torcida corintiana exibiu uma faixa em que estava escrito “CBF da corrupção”. Na etapa final, também houve interrupção pelo uso de sinalizadores.

O outro problema extra-campo foi a reclamação exagerada de Luciano após ser substituído. Mas o técnico Cristóvão Borges disse que irritação do atacante era com ele próprio e negou que haja algum problema. O lateral Fagner prometeu que tudo será resolvido internamente.

Veja as principais declarações pós-jogo:


Cristóvão conseguiu quarta vitória seguida (Foto: Daniel Augusto Jr./Corinthians)

“Não tem problema sobre o Luciano. Se ele ficou assim, é bobagem. A irritação não é com os outros, é com, então não é problema, é normal”.

“Gostei do que a gente fez em boa parte do 2º tempo, com marcação adiantada. Tiramos espaço e na troca de passes o time controlou o jogo. O gramado não ajudava, mas foi satisfatório”.


Marquinhos fez o segundo gol (Foto: Daniel Augusto Jr./ Corinthians)

“Às vezes fora de casa tem que ser assim mesmo, mais na superação. A gente sabia que a partida seria brigada, muito pelo alto, mas conseguimos tomar conta do jogo”,

“A gente sabia da dificuldade, que seria um jogo de contato, uma verdadeira guerra. Tivemos dificuldade no início, mas soubemos defender e não correr risco. Abrimos mais o jogo no 2º tempo e fizemos os gols”.

“Não vi o que aconteceu com o Luciano, mas acho que, se houve, agente vai resolver internamente. É o mais coerente, é coisa de grupo, aqui de dentro. O melhor é conversar, como deve ser feito. Quando tem pessoas que você gosta, não precisa expor ninguém”. 

Atacante quando tá jogando quer fazer gol, se pressiona, tem que passar confiança, vai sair gol, tem ajudado e as coisas vão acabar acontecendo


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook