Últimas

França espanta zebra, goleia Islândia e enfrenta Alemanha na semi da Euro

A seleção francesa não tomou conhecimento da Islândia, até então considerada a maior zebra da Eurocopa, e garantiu sua vaga nas semifinais da competição com uma goleada por 5 a 2, neste domingo (3), no Stade de France, em Saint-Denis.

A goleada foi construída quase toda no primeiro tempo, quando o placar já marcava 4 a 0 a favor dos anfitriões.

O centroavante Giroud, com dois gols, os meias Pogba e Payet, além do atacante Griezmann, selaram a goleada da França, enquanto Sigthórsson e Bjarnason descontaram para a Islândia.

Na próxima fase, os donos da casa terão pela frente a Alemanha, maior vencedora do torneio, com três taças, mesmo número da Espanha. O confronto acontecerá na próxima quinta-feira (7), no estádio Velódrome, em Marselha.

Na outra semifinal, Portugal e País de Gales se enfrentam um dia antes.

O placar elástico, com o maior número de gols desde o início do torneio, foi um alívio para a seleção da casa, que sofreu muito mais nas partidas anteriores.

Na primeira fase, garantiu as vitórias sobre Romênia (2 a 1) e Albânia (2 a 0), antes de vencer a Irlanda de virada por 2 a 1 nas oitavas de final.

“Estou muito feliz pelos jogadores, que realmente merecem essa vitória, e pelo público que nos apoiou. Foi muito bom poder proporcionar todas essas emoções”, vibrou o técnico Didier Deschamps.

França e Alemanha nunca se enfrentaram em Eurocopas, mas aos franceses guardam uma péssima lembrança dos últimos confrontos em Copas do Mundo. Foram três eliminações seguidas, duas em semifinais, em 1982 (nos pênaltis, depois do empate em 3 a 3 na prorrogação) e 1986 (2 a 0), e uma nas quartas, há dois anos, no Brasil (1 a 0).

“É óbvio que a Alemanha é a melhor equipe, não há dúvidas sobre isso, apesar deles terem levado alguns sustos contra a Itália. Estanos nas semifinais, náo foi fácil, mas vamos tentar de tudo para aproveitar essa oportunidade”, ressaltou Deschamps.

Apesar da ‘freguesia’, os franceses contam com o apoio da torcida para conquistar mais um título em casa, depois da Euro-1984 e da Copa-1998.

A Alemanha terá um dia a mais de descanso, mas saiu de uma partida de 120 minutos com a Itália e terá vários desfalques, com as lesões de Mario Gomez e Khedira, além da suspensão de Hummels.

A França, por sua vez, terá sua força máxima, com a vantagem de ter jogado praticamente em ritmo de treino no segundo tempo.

Grande revelação do torneio, a Islândia, que eliminou a Inglaterra nas oitavas, saiu de cabeça erguida apesar da goleada.

Estreante em Eurocopas, a seleção do pequeno país de 330.000 habitantes fez uma grande campanha e mereceu os aplausos da sua fanática torcida, que liderou uma verdadeira invasão Viking no Stade de France.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook