Últimas

Francisco Dacal: Terraço Cultural, uma experiência

Por Francisco Dacal 

Administrador de empresas

f.dacal@hotmail.com

Estimado leitor, em tempos de tanto pessimismo, onde qualquer conversa intuitivamente é atrelada ao inconveniente, com prejuízo às relações humanas, temos que pensar, ainda é possível, que há espaço para se falar de coisas boas. O fato, é que no bairro de Casa Forte, em terras do lendário engenho de Dona Anna Paes, amiga fraterna do conde Maurício de Nassau, tem ocorrido conversas de maneira otimista e construtiva, com muitos diálogos sobre cultura geral, no terraço do singelo bangalô do pesquisador e colecionador Ricardo Breno de Pontes Borges Rodrigues, também muito conhecido como Cacá. Neste local, um grupo de amigos tem-se reunido, semanalmente, aos sábados, pela tarde, para apresentar e discutir assuntos das mais diversas áreas, trocando informações e atualizando conhecimentos, através de debates onde a palavra é a grande vencedora, com democracia e cordialidade. 

No grupo de amigos, todos são igualmente membros efetivos fundadores do Terraço Cultural, com todos os direitos e sem deveres, como gosta de afirmar Cacá. Quando uma pessoa de fora deste grupo é convidada a falar sobre algum assunto, logo é informada de que já pode ser membro efetivo nas mesmas condições. A partir da vivência profissional e pessoal, e pela predileção cultural, no momento oportuno cada participante tem procurado colaborar com temas, de forma que Fernando Azevedo (Pixoto), Reinaldo Oliveira e Paula, Maurício Pedrosa, Fernando Amaral, Emídio Vasconcelos, Carlos Alberto Soares, Waldemar Borges (Deminha), Antônio Torres, Edson Barros e Lúcia, João Ferreira, Sérgio Gusmão, Sueldo Melo, Francisco Dacal, Luciano Marinho e Cacá, que não aceita ser considerado o líder, mas é condescendente como cicerone, todos, à vontade, tem proporcionado bons momentos aos sábados.

Vários convidados ilustraram o Terraço com seus relatos, entre eles: Marcelo Melo, Carlos Fernando Asfora, Fátima Quintas, Leonardo Dantas, Zelito Nunes, Cláudio Almeida e Beth Coelho, Rostand Paraíso, Luiz Bompastor, Roque de Brito Alves, Rômulo Menezes, Joaquim Francisco, Carlos Bezerra Cavalcanti, Jobson Figueiredo e José Luiz Mota Menezes. 

Quanto aos assuntos, foram colocados em pauta: grandes viagens; o teatro em Pernambuco; história do frevo; biografias de Souza Dantas e Amaro Quintas; Segunda Guerra Mundial; realidade política; Caminho de Santiago; manicômio; história de Pernambuco; nomes das ruas; a vida de exilado; o artista Frank Sinatra; literatura e vida de Gabriel Garcia Marquez, Shakespeare, Cervantes e Santa Teresa de Jesus; o Recife de antigamente; poeta Ascenso Ferreira; a sociologia; o artesanato no nordeste; o Recife boêmio; casarões e esculturas do Recife; os idiomas; o Galo da Madrugada; a vida sertaneja; o Quinteto Violado; Dom Quixote; fenômenos naturais; mistérios do universo; histórias do Zepelim, formação dos esportes, etc. E assim, pensando no futuro, o Terraço Cultural completa dois anos de pleno funcionamento, em 23 de julho de 2016, para o deleite dos sábados à tarde…


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook