Últimas

Hala Madrid: Pequeno gigante

“A aposta é válida (…) Mas que fique bem claro que Kanté (ainda) é uma aposta”



GOAL Por Paulo Madrid


Em meu primeiro texto pós-Undécima, eu abordei a necessidade de ter outro jogador com características semelhantes às de Casemiro no elenco. Em sua edição da última terça-feira, o diário Marca estampou na capa uma das opções para preencher essa vaga: Kanté, do Leicester.

Kanté tem 25 anos e 1,69 m de altura. Foi o melhor jogador do Leicester e, por extensão, da Premier League como um todo na última temporada. É um volante de ótimo desarme, muita velocidade, força física, bom passe e um pulmão invejável. Foi a alma e o motor do já inesquecível Leicester campeão inglês. Um pequeno gigante dentro de outro pequeno gigante. Na maioria das vezes, era ele quem recuperava a bola e iniciava os contragolpes mortais dos foxes, quer fosse por meio de arrancadas ou de passes longos. Sua cláusula rescisória é de €25 milhões, valor baixo para os padrões do futebol atual, que começou a ser inflacionado por ninguém menos que Florentino Pérez em 2009.

Kanté: volante de ótimo desarme, muita velocidade, força física, bom passe… (Foto: Michael Regan/Getty Images)

Tudo isso concorre para que o francês seja contratado pelo Real Madrid para a próxima temporada. A aposta é válida. Até porque o atleta inevitavelmente vai para um time grande da Europa no presente mercado de transferências e depois disso certamente será uma contratação bem mais difícil para quem tiver perdido a disputa nesse primeiro momento. Mas que fique bem claro que ele (ainda) é uma aposta.

O volante foi contratado pelo Leicester no início da 2015/2016. Antes disso, jogava pelo Caen, na segunda divisão francesa. Equivale a dizer, com todo o respeito, que ele só apareceu para o futebol no último ano. Fica, portanto, a dúvida: ele será capaz de manter ou, pelo menos, de seguir próximo do nível apresentado na Inglaterra, ou viveu apenas uma temporada de exceção?

Outro aspecto potencialmente problemático é que Kanté jogou apenas em times pequenos até para padrões nacionais. Em tempo, é claro que o Leicester protagonizou um dos maiores feitos da história do futebol. Emocionou, inspirou e deixou boquiaberto todo o mundo da bola. Obrigado, Leicester! De minha parte, tenho absoluta certeza de que jamais torci com tanto afinco por uma equipe que não fosse o Madrid. Para dizer o mínimo, porque é absurdamente fácil me deixar levar e começar a tecer intermináveis elogios ao atual campeão inglês.

Em tempo: alguém não se emocionou com o Leicester (Foto: Getty Images)

Onde eu estava mesmo? Ah, sim! Apesar de tudo isso, o Leicester ainda é considerado um clube pequeno até mesmo dentro do cenário nacional. A conquista recente pode proporcionar uma oportunidade de crescimento, é verdade, mas isso só vai se consolidar em longo ou médio prazo. Enfim, o ponto é que o time inglês não é nem remotamente comparável ao Real Madrid, que é um gigante a nível mundial. Ou seja, é possível que Kanté sinta a pressão, o peso da camisa. É bom que se diga: nesse sentido, o fato de ele estar jogando a Eurocopa pela França pode ajudar muito. Pode ser um importante “ensaio”, por assim dizer.

Reitero: em linhas gerais, pesando prós e contras, vale a aposta. Que ela seja feita, e que dê tão certo quanto o monstro Casemiro.

Paulo Madrid. Não, não é uma licença poética. O nome vem de família mesmo. Sorte a minha. A coincidência gerou um interesse que, já desde muito cedo, desembocou em uma paixão. Madridista desde sempre, para sempre. ¡Hala Madrid y nada más!


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook