Últimas

Hala Madrid: Semelhanças e diferenças

Karim Benzema e Álvaro Morata me parecem bastante compatíveis. Os dois são centroavantes, sim. Mas são parecidos, não iguais



GOAL Por Paulo Madrid


Com a ausência de Cristiano Ronaldo (lesionado) e as férias prolongadas de Gareth Bale (em função da Euro), existe a possibilidade de que Zidane mande a campo na Supercopa da Europa um time formatado em um 4-4-2, com Benzema e Morata constituindo a dupla de ataque. Eis uma ideia interessante. Não apenas para esta final especificamente, como também para eventuais novas ausências de Cristiano.

Karim Benzema e Álvaro Morata me parecem bastante compatíveis. Os dois são centroavantes, sim. Mas o francês está mais para um camisa 9,5, digamos assim. Um híbrido entre armador e centroavante. Peça muito rara no futebol atual, inclusive.

Compare os números de Benzema e Morata na temporada passada

Daí extrai-se que Benzema pode jogar como segundo atacante, flutuando atrás de Morata, com mais movimentação. Essa, na verdade, é uma função muito semelhante à que ele já executa quando o BBC está completo. Com o time titular, sua movimentação natural é de sair da área a fim de abrir espaços para a entrada de Cristiano e Bale, o que o torna muito ativo no processo de elaboração de jogadas. Na companhia de Morata, o único que muda é que o francês deixa de funcionar como referência e já parte de uma posição mais recuada no campo, em lugar de ter que se movimentar para chegar a ela.

Melhor ainda se ambos alternarem suas funções em alguns momentos durante as partidas, para confundir os zagueiros adversários. Evidentemente, Benzema se vira melhor fora da área. Tem mais capacidade técnica e mais mobilidade. Mas isso não faz de Morata um Peter Crouch ou um Andy Carroll – leia-se, um centroavante assustadoramente limitado. A variação pode funcionar.

A dupla pode funcionar. E ser uma excelente e importante alternativa ao trio BBC. Afinal, já sabemos, it is a long way to the top.

Paulo Madrid. Não, não é uma licença poética. O nome vem de família mesmo. Sorte a minha. A coincidência gerou um interesse que, já desde muito cedo, desembocou em uma paixão. Madridista desde sempre, para sempre. ¡Hala Madrid y nada más!


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook