Últimas

Indígenas do Amazonas aderem à mobilização nacional e fazem protestos em Manaus

Indígenas de várias etnias e municípios do Amazonas fizeram protestos nesta quarta-feira em Manaus como parte de uma mobilização nacional realizada em outros estados do país. Na pauta de reivindicações, principalmente a demarcação de terras dos povos tradicionais e a educação indígena.

Os manifestantes, cerca de 600, segundo a organização, também se posicionaram contra a indicação de militares para a presidência da Fundação Nacional do Índio (Funai). Essa possibilidade foi descartada recentemente pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, mas ainda existe um temor entre os indígenas de que isso ocorra. “São nossos maiores algozes, que, na época da ditadura, mataram nosso povo. Nós não aceitamos”, afirmou a indígena Milena Kokama, da região do Alto Solimões.

Em Manaus, as manifestações foram organizadas pelo Fórum de Educação Escolar Indígena do Amazonas (Foreea). “A educação escolar indígena nunca foi amparada totalmente. Ela é amparada nas leis, mas a realidade é diferente.

A realidade local é que o Amazonas tem a maior quantidade de povos indígenas e a maioria das escolas indígenas do estado não tem prédio. Não existe uma educação diferenciada, com língua própria. Isso só existe no papel. E o fórum veio para reivindicar a execução dessas leis”, afirmou a professora e indígena sateré-mawé Rosenilda Luciano.

Para Clarisse Arbela, da etnia tukano e membro da diretoria da Foreea, a adesão ao movimento nacional é para mostrar a força dos povos indígenas do estado.

“Nós do Amazonas temos um cenário também muito crítico em relação à terra, à saúde e à educação. Hoje, estamos mostrando para o estado que também temos força para nossa mobilização e nossa política. Os povos indígenas do Amazonas não adormeceram. Estamos aqui para mostrar nossa cara, para dizer aos nossos deputados federais que não somos idiotas”, destacou a indígena.

Os manifestantes reclamam do posicionamento de alguns parlamentares, principalmente do Amazonas, que querem a revisão ou anulação de decretos de demarcação de terras indígenas assinados pela presidenta Dilma Rousseff pouco antes de ser afastada.

“Enquanto povos indígenas, nos sentimos traídos pelos parlamentares federais. Os do estado do Amazonas estão votando contra nossos direitos. Onde já se viu pedir a revisão das nossas terras demarcadas, que nós já lutamos tanto? Vamos dar o retorno nas urnas contra eles que se dizem cidadãos”, afirmou o indígena João Neves Galibi, que é da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab).

Coms faixas e cartazes, os indígenas fizeram uma caminhada pela manhã no bairro Nossa Senhora das Graças até a sede da Funai em Manaus. À tarde, foi realizada uma marcha no centro da cidade até a praça do Largo São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas, onde expuseram as principais reivindicações do ato e fizeram apresentações de música e dança tradicionais.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook