Maicon pede desculpas por expulsão, mas reclama: ‘Não houve agressão’

Zagueiro do São Paulo disse que empurrão na cabeça de Borja não era para expulsão

Após a derrota por 2 a 0 para o Atlético Nacional, da Colômbia, nesta quarta-feira (6), no Morumbi, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores da América, o zagueiro Maicon admitiu que errou ao empurrar o pescoço de Borja na frente do juiz argentino Mauro Vigliano aos 27 minutos do segundo tempo, mas disse que o cartão vermelho pelo lance foi exagerado.

“Com certeza eu errei, mas ao meu ver não foi uma agressão para receber o cartão vermelho. Eu apenas coloquei a mão na cabeça, não houve agressão. É claro que eu preciso dar exemplo, dar uma segurança por ser capitão da equipe, mas o calor do jogo deixa a gente com pressa. Eu assumo toda responsabilidade por ter comprometido o resultado e decepcionado torcedores e companheiros”, declarou em passagem pela zona mista.


(Foto: Fridemann Vogel/Getty Images)

“Eu não caí na malandragem. Acho que não foi um lance para cartão vermelho, poderia ter dado um amarelo, ou ter conversado comigo. A equipe lutou muito, infelizmente aconteceu isso”, acrescentou.

Símbolo do São Paulo na Libertadores, Maicon renovou com o São Paulo na última semana após a diretoria desembolsar R$ 22 milhões para comprá-lo do Porto. O jogador disse que o dinheiro investido não será desperdiçado.

“O investimento que fizeram em mim não foi a curto prazo, quatro anos de contrato, quem sabe mais, o investimento que fizeram não foi pra Libertadores, foi pra quatro anos, tenho certeza que o investimento que fizeram em mim será recompensado”, finalizou.

Com a derrota por 2 a 0, o Tricolor precisa vencer por três gols de diferença ou dois desde que marque três gols na próxima quarta-feira, na Colômbia, para conseguir a classificação. 


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Maicon: De herói a vilão | São Paulo 0 x 2 Atlético Nacional | Palco de guerra no Morumbi



Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook