Últimas

Ninho do Urubu: Mancuello x Alan Patrick – Uma vaga, dois estilos

O técnico Zé Ricardo deve escalar os dois juntos ou só um deles no meio-campo do Flamengo? Compare e opina!



GOAL Por Bruno Guedes


O mais novo debate no Flamengo é sobre quem deve ser titular: Mancuello ou Alan Patrick. Alguns pedem que os dois estejam na equipe principal. Outros que apenas um deles faça a função de principal armador do time. A verdade é que estamos falando de estilos diferentes, porém ambos com características que podem ajudar nessa evolução que o Zé Ricardo impôs ao Rubro-Negro.

Devemos nos lembrar que o técnico Zé, que já deveria ter sido efetivado há muito tempo, tem definido um padrão de jogo. E isso é algo que o Flamengo não tinha desde Dorival Jr.. Qualquer jogador que entra como titular, não muda o estilo da equipe. Essa é a principal virtude e qualidade do novo treinador. Porém, para que funcione, este meia que joga atrás dos atacantes também precisa participar da recomposição defensiva. E é aí que entram os detalhes e diferenças de cada um.

Alan Patrick

Meia mais clássico, tem como a boa visão da jogada a sua qualidade. Joga um pouco mais recuado e centralizado, só que carregando mais a bola e abrindo opções pelos lados. Dita o ritmo da equipe. Quando está bem, o Flamengo cria muitas opções para finalizar. Quando está mal, o time inteiro joga mal.

Entra bastante na área quando a bola está pelo lado do campo, dando mais opções ao ataque. Defensivamente não é um exímio marcador, mas recompõe rapidamente a segunda linha de quatro no 4-1-4-1 que Zé Ricardo montou para quando perder a bola.

Mancuello

Muito pelo que fez no Campeonato Carioca, o argentino é o xodó da torcida. Apesar de não ser “camisa 10” clássico, consegue fazer essa função. Joga atrás dos atacantes, por vezes caindo mais pelo lado esquerdo e atrás da segunda linha adversária, encostando neles. Também consegue dar mais velocidade ao passe e acelerar as jogadas.

Mais versátil, pode entrar na área para finalizar ou fazer tabelas, ajudando ao ataque. Recompõe defensivamente bem, por vezes fazendo papel de segundo volante quando o time está sem a bola. Pesa a seu favor a bola parada, algo fundamental nesta equipe atual. Porém, em algumas ocasiões “some” do jogo. Quando jogou pelos lados do campo não foi bem, porque falta velocidade para a função.

Independente dos estilos, Zé Ricardo tem duas opções diferentes. Há que pense que ambos possam jogar juntos. De fato podem, porém a equipe, dentro do padrão estabelecido, acaba perdendo seu poder de jogo se um deles jogar pelos lados (como um ponta) ou mais recuados (como volantes). O certo é que a disputa é boa e quem ganha com isso é o Flamengo.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook