Últimas

Novos procedimentos nos aeroportos resultaram em filas de até 45 minutos

As mudanças nos procedimentos de inspeção para voos domésticos nos aeroportos do país, que começaram a vigorar nesta segunda-feira, resultaram em filas de 45 minutos durante a manhã no Aeroporto de Congonhas (SP). Em outros terminais, as filas para a inspeção de passageiros e bagagens foram de 17 minutos, em Brasília (DF); 16 minutos em Porto Alegre (RS); 15 minutos no Santos Dumont (RJ); 11 minutos em Guarulhos (SP) e de 10 minutos em Viracopos (SP).

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), não foi registrado tempo de fila adicional nos aeroportos do Galeão (RJ) e Confins (MG) durante o pico de inspeção, registrado no início da manhã. Nos demais aeroportos não foram registrados tempos de espera significativos. “A agência acionou operadores aeroportuários a fim de obter informações sobre o ocorrido e acompanhou as medidas a serem adotadas para tornar a inspeção mais ágil.”

A recomendação da Anac é para que os passageiros cheguem aos aeroportos com duas horas de antecedência em relação ao horário da decolagem. A orientação é que os passageiros retirem cintos e demais objetos metálicos antes de passar pelo pórtico (raios X). Quem estiver levando notebook na bagagem de mão deve colocar o aparelho em uma bandeja separada.

Com o maior rigor nos procedimentos de segurança, qualquer passageiro poderá ser submetido a passar pelo scanner corporal ou por uma revista física aleatória. Neste caso, o passageiro poderá ser revistado por um agente de proteção da aviação civil do mesmo sexo, mesmo se o alarme do equipamento de raio X não tiver disparado. Também poderá ser solicitada a inspeção manual de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de raios X.

A Anac diz que a adoção desses procedimentos tem como único objetivo “zelar pela segurança de todos os passageiros e seus familiares no transporte aéreo brasileiro”. O monitoramento das operações vai continuar amanhã.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook