Pastor é acusado de destruir cruz histórica em cidade do TO


19/07/2016 – 11:00


O objeto ficava no morro mais alto da cidade e era símbolo importante para os católicos




Pastor é acusado de destruir cruz histórica em cidade do TO
Cruz histórica foi quebrada em Taipas do Tocantins (Foto: Marcos Teles/Divulgação)

Um pastor está sendo acusado de ter quebrado a cruz fixada em um morro em Taipas do Tocantins. A denúncia foi feita por católicos que registraram um boletim de ocorrência contra o pastor por vandalismo.

Quem acusa o evangélico é Maria Dolores da Silva Sá, ela afirma que viu através de um binóculo “uma movimentação estranha” no morro onde a cruz estava fixada.

Ela e outras pessoas subiram no morro na última terça-feira (12) e questionaram o pastor pelos motivos que ele tinha para destruir o objeto.

“O pastor disse que nós não estávamos recebendo as bênçãos por causa dela. Eu cheguei a chorar. A gente ficava sentado no banco olhando para ela. O detalhe é que quem a colocou no morro já morreu, era membro da igreja”, afirma Maria.

Outros fiéis da igreja foram avisados por ela e voltaram para o morro para ver se realmente a cruz estava destruída. Eles encontraram o objeto jogado em uma vala, com um dos braços quebrados.

Segundo a coordenadora da igreja e ministra da palavra, Rosa Alves de Sá, o pastor tentou remover a cruz, como não conseguiu, quebrou o objeto. “Eles tentaram arrancar. Como não conseguiram, quebraram a base dela com um facão e jogaram numa vala”.

Rosa conta que a cruz foi construída em 1984 e sua história está ligada à primeira igreja católica que foi construída na cidade, precisando do apoio e mobilização de toda a comunidade católica para ser erguida.

“O templo foi construído por meio de doações. Todo mundo se uniu para ajudar. Lembro que naquele ano meu marido resolveu construir a cruz para ser o marco histórico da construção da igreja católica na cidade. Ela foi fixada em frente ao templo”, explicou Rosa.

Há cerca de 10 anos, porém, a prefeitura construiu uma praça em frente a igreja e removeu a cruz. “A cruz ficou encostada. Para dar uma utilidade a ela, resolvemos fixá-la na altura do morro. Ela ficava visível, toda a população via.”

O pastor acusado não teve seu nome revelado, a reportagem do G1 afirma que ele mora em Aparecida de Goiânia, mas estava na cidade para pregar em um culto. Ele não foi localizado para dar sua versão.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook