Últimas

Penedo está entre as dez cidades alagoanas que mais registram empresas

Nos primeiros seis meses de 2016 foram criadas 10.149 empresas em Alagoas. Mesmo menor do que o quantitativo levantado no primeiro semestre do ano passado, esse número é o segundo maior anotado nesta década. O resultado superior a 10 mil empresas foi possível, principalmente, graças às constituições de Microempreendedor Individual (MEI), que representam 75% do total.

 

O valor total obtido no primeiro semestre apresenta redução de 2,13% quando comparado às 10.370 empresas constituídas em 2015, porém ligeiras evoluções são observadas quando o comparativo é feito com os outros anos.

 

Em relação a 2014, o crescimento é de 4,64% (9.699 negócios). Quanto ao ano de 2013, a elevação é de 10,59% (9.177 negócios). Em relação a 2012, é superior 6,09% (9.566 negócios) e quanto a 2011, por sua vez, o crescimento é de 34,46% (7.548 negócios).

 

Em 2016, o valor registrado pode ser subdivido em 7.624 MEIs, 1.877 microempresas (ME) – negócios com renda bruta anual inferior ou igual a R$ 360 mil -, 369 empresas de pequeno porte (EPP) – negócios com renda bruta anual superior a R$ 360 mil e inferior ou igual a R$ 3,6 milhões – e 279 grandes empreendimentos, que têm renda bruta anual superior a R$ 3,6 milhões (definidos como sem porte).

 

A Junta Comercial do Estado de Alagoas (Juceal) é o órgão responsável pelo registro de empresas no Estado e, para o presidente da Juceal, Carlos Araújo, o quantitativo é explicado pela facilidade de registro do MEI, por meio do Portal do Empreendedor, e pela desburocratização obtida para os outros portes empresariais, iniciados no Portal Facilita Alagoas.

 

“Alagoas conta com o ambiente de negócios com menos burocracia no país. Por isso procuramos oferecer cada vez mais um registro empresarial simplificado e rápido. Se não fosse por isso, os números para as MEs, as EPPs e as empresas consideras sem porte poderiam ser bem menores. Quando o processo é feito corretamente e protocolado na Juceal, nós damos ao empresário o prazo de até para 48h para a saída desse processo, podendo acontecer até em algumas horas”, evidencia Carlos Araújo.

 

Incentivos a novas empresas

 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, o Estado vem atuando a fim de garantir a instalação de novos empreendimentos, especialmente por meio de uma forte política de incentivos fiscais.

 

“É preciso eficiência para entregar aos alagoanos tudo o que o Estado pode e tem o dever de fazer. Com o Novo Programa de Desenvolvimento Integrado (Prodesin), nosso Estado se tornou muito mais competitivo, oferecendo incentivos fiscais para atrair novas empresas e consolidar as que já estão atuando aqui. Esta nova política tem garantido bons números para Alagoas. Atualmente, 18 empresas estão em instalação por causa desses benefícios, o que representa cerca de 2.500 novos postos de empregos diretos para os alagoanos”, reforça o secretário.

 

Por meio dessas políticas, grandes negócios proporcionam uma diversificação da economia alagoana e um aumento na geração de empregos. “Um exemplo de indústria inaugurada durante o Governo Renan Filho e que foi atraída para Alagoas por meio dos incentivos do Prodesin é a Portobello. Instalada no nosso Estado com capacidade produtiva de 20 milhões de m²/ano de revestimentos cerâmicos, a indústria atende o consumo do Norte e Nordeste brasileiros, que corresponde a 25% do mercado cerâmico nacional”, explica Hélder Lima.

 

Números de 2016

 

A seção de atividade que mais registrou constituições no primeiro semestre foi verificada quanto às empresas que apresentam o comércio como atividade principal, com total de 4.610 negócios. A lista segue com os negócios referentes a alojamento e alimentação – 1.028 empresas; indústrias de transformação – 850 empresas; transporte, armazenagem e correio – 606 empresas, e outras atividades de serviço – 605 empresas.

 

No período, Maceió foi a cidade com mais aberturas, sendo registrados 4.694 negócios. Logo em seguida aparece Arapiraca, com 964 empreendimentos. Juntas, as constituições nos municípios representam 56% do total.

 

A lista das dez cidades com mais aberturas de empresas é composta ainda por Rio Largo (292), Palmeira dos Índios (242), Marechal Deodoro (213), São Miguel dos Campos (198), Delmiro Gouveia (173), Penedo (164), União dos Palmares (162) e Coruripe (147).

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook