Por que a Olimpíada do Rio é tão importante para a Seleção Brasileira?

Além de conquistar a inédita medalha de ouro, vencer em casa pode ajudar a esquecer um pouco dos 7 a 1

Nesta segunda-feira (18), os atletas escolhidos por Rogério Micale para disputar o torneio de futebol na Olímpiada do Rio começaram a se apresentar na Granja Comary, em Teresópolis.

 

Com Neymar e companhia, o Brasil chega como o grande favorito para conquistar a medalha de ouro, e não poderia ser diferente, além de ser o anfitrião, tem um grupo bastante qualificado mesmo com a dificuldade para conseguir a liberação de alguns atletas.

 


(Foto: Getty Images)

 

Mas afinal de contas por que a Olimpíada do Rio é tão importante para a Seleção pentampeã do mundo?

 

A frustração de nunca ter conquistado uma medalha de ouro, o vexame na Copa do Mundo de 2014 e a falta de títulos recentes são alguns dos motivos que fazem com que o brasileiro veja como obrigação essa conquista.

 


(Foto: Getty Images)

 

Tamanha essa obrigação que a própria CBF se planejou muito mais para os Jogos do que para a Copa América Centenário. 

 

Prova disso foi a ausência de Neymar nos Estados Unidos, o principal jogador da Seleção Brasileira não disputou a competição justamente para estar presente na Olímpiada do Rio.

 

Talvez se Neymar tivesse em campo, o desempenho da Seleção Brasileira não teria sido tão pífio e Dunga poderia ter seguido no comando técnico da Canarinho.

 


(Foto: Getty Images)

 

A verdade é que para algumas pessoas na CBF a conquista do Ouro Olímpico pode ajudar a deixar de lado o fantasma do 7 a 1 e ser uma forma de presentear o torcedor.

 

Por isso tanta batalha para conseguir algumas liberações, por esse motivo também alguns atletas como Walace, Rodrigo Caio e Gabigol disputaram a Copa América Centenário.

 

Para mais nenhuma Seleção no mundo os Jogos Olímpicos tem tanta importância, e para o Brasil deixará de ter assim que a Canarinho colocar a medalha dourada no peito.

 

 

Foram muitos os craques que já tentaram, Romário, Ronaldo, Bebeto, Ronaldinho Gaúcho e tantos outros que também fracassaram em suas tentativas. 

 

Rogério Micale sabe da responsabilidade que tem pela frente, da pressão que já toma conta mesmo antes da apresentação dos atletas, mas o treinador também sabe o quão recompensado pode ser caso conduza esses meninos para entrarem na história.

 


(Foto: Rafael Ribeiro / CBF)

 

Muitos treinadores considerados “medalhões” também falharam, e logo Micale que tem sua carreira toda vontada para as categorias de base pode conseguir este feito.

 

No grupo A do torneio de futebol, o Brasil estreia na competição no dia 4 de agosto, contra a África do Sul, em Brasília. Três dias depois, encara o Iraque no mesmo estádio e no dia 10, encerra a participação na primeira fase contra a Dinamarca, em Salvador.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook