Sem fatalismo, derrota ou lamento: Cristiano Ronaldo lidera Portugal para uma nova era

Craque do Real Madrid saiu da final por causa de uma lesão, mas sua participação fora de campo ajudou Portugal a conquistar o título da Eurocopa

Portugal reescreveu sua história no futebol neste domingo, ao bater a França e conquistar a Eurocopa. O time já tinha sofrido eliminações traumáticas, bastante típicas dos portugueses – o país é historicamente marcado por elementos de fatalismo, lamento, nostalgia e derrotas. 

O fado, música típica de Portugal, representa isso muito bem. Tanto que no jornal A Bola, antes da final, havia uma charge que mostrava isso. Um homem entrava em uma barbearia e comentava como a seleção vinha jogado de forma pobre. A resposta foi irônica: “fale baixe. O Portugal do fado está adormecido até agora e nós não queremos acordá-lo”.

E nesta segunda-feira os portugueses acordaram com notícias positivas e sem tragédias ou finais fatais. É uma grande melhoria, que teve Cristiano Ronaldo como líder. Mesmo que ele tenha se lesionado e chorado no começo da final, ele fez sua parte e foi importante fora de campo.

Criado na Ilha da Madeira, Cristiano Ronaldo foi para o continente aos 11 anos e começou a jogar no Sporting. Desde então, conquistou títulos e Bolas de Ouros. Mostrou ao seu país que era possível vencer na Europa. E então seus companheiros mostraram que aprenderam bem e podiam vencer sem ele.


Cristiano Ronaldo foi campeão de tudo ao lado de Pepe (Foto: Getty Images)

Mas Cristiano não ficou só no banco de reservas. Ele deu instruções para seus companheiros, pediu mais apoio dos torcedores e ajudou o técnico Fernando Santos. O lateral direito Cedric Soares revelou que, no intervalo, Ronaldo fez um discurso vibrante para todos. “Ele nos deu confiança e disse: ‘tenho certeza que vamos vencer, então fiquem juntos e lutem por isso’. Foi inacreditável”.

O gol decisivo saiu dos pés de Eder, o que surpreendeu muita gente. Mas Cristiano Ronaldo acreditava nele: “Ronaldo disse que eu ia fazer o gol da vitória. Ele me deu força e energia, isso foi vital”, contou o próprio Eder.

Para Cristiano, apenas ganhar é importante. Em seu museu na Ilha da Madeira, ele só exibe suas Bolas de Ouro. Não mostra nenhum prêmio por ter ficado em segundo lugar em disputas individuais. Isso significa muito pouco para ele. Mas o título significará muito: “foi um dos momentos mais felizes da minha carreira. O povo português merecia isso; nossos jogadores mereciam isso”.


Cristiano Ronaldo deve ganhar Bola de Ouro pelo ano de 2016 (Foto: Getty Images)

Muitos criticaram o pragmatismo do técnico Fernando Santos, mas é preciso valorizar que ele criou um grupo forte e com um espírito que poucas seleções mostraram na Eurocopa. E vale lembrar que algumas das suas substituições foram decisivas, como a entrada de Ricardo Quaresma, que fez o gol da vitória contra a Croácia. Além do próprio Eder, que saiu do banco para conquistar o título na final.

Santos e Cristiano trabalharam juntos por pouco tempo no Sporting, em 2014. Agora, 12 anos depois, ajudaram Portugal a apagar a derrota na Eurocopa daquele ano. Agora eles são campeões da Europa. Então, sem mais fatalismo, nostalgia, derrotas ou lamentos, o povo português pode fazer como Cristiano Ronaldo e chorar apenas lágrimas de felicidade, mesmo que seja ao som do fado.

 

 

 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook