Últimas

Sessão no Tribunal de Contas do Estado tem protesto e nova troca de farpas

Anselmo Brito usa placa "Dodói pelo interesse público"; já Cícero Amélio questiona processos do colega

 

Após protagonizarem uma discussão acalorada sobre o andamento de processos na última semana, os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Anselmo Brito e Cícero Amélio voltaram a ser o centro das atenções nesta terça-feira (26).

O primeiro fez um protesto silencioso, ao colar no computador usado na sessão desta manhã uma placa na qual estava escrito "Dodói pelo interesse público". Já o segundo aproveitou o encontro para "cutucar" o colega.

Na última semana, Brito reclamou da suposta demora de Amélio para devolver processos para o pleno. Segundo ele, em alguns casos, os processos estariam há sete anos parados à espera de devolução, o que iria de encontro ao "zelo dos processos".

Por sua vez, Amélio afirmou que achava que o conselheiro era doente e disse que pediria ao Tribunal de Contas do Estado para fazer um exame psicológico em Brito.

Nesta terça-feira, Amélio disse que não fez nenhuma manobra para retardar processos e que os documentos com os quais estava não continham a defesa dos gestores, por isso a demora. O conselheiro aproveitou para dar o troco na mesma moeda e disse que Brito está com processos retidos há oito meses.

"Eu não fiz manobra nenhuma, mas e os processos que estão com o conselheiro Anselmo há 8 meses? Quantos processos estão com ele e não estão sendo julgados? Essa é uma forma teatral de cobrar. Todo o estado sabe como o conselheiro Anselmo é uma pessoa teatral", afirmou.

Segundo Amélio, em nenhum momento ele disse que Brito apresentava "desordem mental", mas ressaltou que vai pedir para que o TCE realize exames, já que ele se sente ameaçado. "O que declarei é que vou pedir para que o Tribunal realize exames psicológicos e psiquiátricos para avaliar isso, porque acho que estou correndo risco de morte ao lado dele", concluiu.

 

Dizeres colados no computador do conselheiro chamaram a atenção

FOTO: Larissa Bastos

 

 

À Gazetaweb, Anselmo Brito afirmou que as críticas recebidas são reflexos das cobranças da última sessão."Tendo em vista a repercussão e o lapso de alguns processos que estão com pedido de vista há sete anos, a cobrança está sendo efetiva. Essa postura dele depõe contra o Tribunal. Temos que ter zelo pelo bom funcionamento processual e pela instituição"

Sobre a acusação de estar com processos, ele garantiu que não está com documentos retidos há vários meses. "A situação com ele não é só essa, foram várias. É só ver os vídeos do pleno para conferir. E, quando você não tem o que justificar, como explicar, busca atacar, como ele tá fazendo", ressalta o conselheiro

Sobre o protesto silencioso, Brito diz que esta foi a forma que encontrou para manifestar sua opinião. "Não fico à vontade com isso, mas não posso descer ao nível do conselheiro. Aquilo ali é um plenário e precisamos agir de acordo com o interesse público. Se ele acha que é teatral, que não faça do pleno um picadeiro".

 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook