Últimas

Voos domésticos terão segurança mais rígida a partir da segunda-feira

As pessoas que embarcam nos aeroportos brasileiros começam a sentir, a partir desta segunda-feira, as mudanças nos procedimentos de inspeção de bagagens e passageiros em voos domésticos. O reforço na segurança é parecido com o método usado em viagens internacionais. A medida, anunciada nesta sexta-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), será iniciada nos terminais brasileiros na segunda-feira, mas no Aeroporto de Confins, por exemplo, as revistas já estão mais rigorosas. Empresas aéreas temem o aumento de filas.

Segundo a BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, o novo procedimento de inspeção do transporte aéreo é normatizado pelo Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC) 107, norma da Anac que dispõe sobre a Segurança da Aviação Civil.

Com o novo protocolo, os passageiros passam a ter que retirar das bagagens de mão os notebooks, tablets e outros dispositivos eletrônicos. Os aparelhos serão colocados em uma bandeja diferente para passar pelo raio X. A justificativa para a retirada dos materiais é que eles dificultam a visualização dos outros itens que estão no interior da bagagem durante a inspeção do equipamento.

Os passageiros podem ser abordados por um Agente de Proteção da Aviação Civil (APAC) para uma revista aleatória. Isso pode ocorrer independente se houver o disparo do alarme do equipamento de raio X. O serviço será realizado por pessoas do mesmo sexo do passageiro e poderá ser em local público ou privado. O critério será escolhido pelo passageiro ou pelo agente e sempre na presença de testemunha. A inspeção aleatória pode ocorrer nas bagagens de mão no momento da passagem do equipamento. Neste caso, os passageiros vão abrir as bolsas de mão para a análise de um agente.

A inspeção manual aleatória de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de Raios X também poderá ser solicitada; nesse caso, os passageiros deverão abrir suas bagagens de mão para inspeção pelos APAC.

Segundo a ANAC, os procedimentos de segurança são adotados e padronizados internacionalmente. No Brasil, estão normatizados pelo Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC) nº 107, norma da ANAC que dispõe sobre a Segurança da Aviação Civil. “Essas medidas de segurança estarão ainda mais presentes nos aeroportos brasileiros, e é muito importante que os passageiros contribuam para que o embarque ocorra de forma eficiente e segura”, disse a Anac.

As empresas aéreas acreditam que a mudança poderá acarretar em filas para chegar nas salas de embarque. “Por esse motivo, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), que representa AVIANCA BRASIL, AZUL, GOL e LATAM, orienta que os passageiros passem a se apresentar para o check-in com uma antecedência maior, de pelo menos 1h30 antes do horário de saída do voo”, pediu a ABEAR.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook