Últimas

Artigo: Balas de Coco Carameladas da Tetê por Fernando Moura Peixoto

Não valeria a pena chegar aos setenta anos, se toda a sabedoria do mundo fosse tolice perante Deus.”

– GOETHE (1749 – 1832)

O cotidiano de labuta pós-aposentadoria de Terezinha Maria de Andrade Ribeiro, nascida em 15 de maio de 1942 em Vitória, no Espírito Santo. Ela veio para o Rio de Janeiro aos oito anos de idade e vende suas balas de coco carameladas – feitas pela “filha do coração” Adriana – desde 2005. Primeiramente no bairro do Jardim Botânico, na porta do Hospital da Lagoa, onde trabalhou. E depois, em Botafogo, em frente ao antigo supermercado Extra – atual Pão de Açúcar. Esteve também na Praia de Botafogo, defronte ao Botafogo Praia Shopping, na esquina da Rua Professor Alfredo Gomes – à noite.

Pessoa muito querida, meiga e delicada, sempre bem arrumada, amiga de todos, é solteira – não transmitiu a nenhuma criatura o legado de sua pureza e ingenuidade. Tetê (assim prefere ser chamada) mora na Comunidade Santa Marta, no Morro Dona Marta, zona sul carioca, em companhia da gata ‘Flor-de-Lis’, cuja foto carrega estampada na blusa.

Para aumentar os rendimentos passou a vender também ornamentados e coloridos panos de prato, juntamente com as balas carameladas (ou caramelizadas), fina iguaria de grande procura, cuja fórmula de preparo mantém em segredo (mas que pode ser revelada pela doceira Adriana no telefone 9-8813-5369, contanto que não contem pra ninguém!)

Do signo de Touro, a segunda constelação zodiacal (Terra, regida por Vênus), a capixaba tem como palavra-chave a PRODUTIVIDADE. Vaidosa, cuida da aparência, mas a timidez também está presente em seu comportamento. Terezinha adora bichos e plantas. Lê os livros do Padre Marcelo. Já correu maratona (possui medalha comprobatória do feito, que exibe orgulhosa). Sua qualidade, o carinho; sua virtude, a paciência.

Gosta de ser fotografada – trocou gentilmente comigo muitas balas de coco caramelizadas por fotos que tirei dela, e que aconteceram entre 2012 e 2014. Vangloria-se ainda que o vídeo – que teve a participação afetiva da amiga Bianca Teixeira ao final -, produzido em sua homenagem, é o meu recordista de visualizações.

O escritor e teatrólogo Abilio Fernandes, ‘o novo bardo de Copacabana’, não perdeu tempo e homenageou Dona Tetê com gracioso versinho:

As balas de coco da Tetê / Têm história pra contar. / Ganharam fórmula mágica / Nas mãos de uma fada. / Velhos e crianças adoravam ganhar / Elas, Confeitadas, / Eles, Carameladas.”

E a escritora e cantora Lúcia Sena, ‘a cronista de Botafogo’, também curtiu muito e logo comentou:

Mais um vídeo emocionante este da Tetê. Não posso sequer calcular o bem que fazes a estas mulheres tão humildes e tão especiais, ao realizares esse tipo de homenagem que, certamente, jamais imaginavam receber de alguém.”

É um trabalho muito importante que realizas, pois tiras essas pessoas do anonimato, da invisibilidade, ajudando até mesmo na divulgação e consequente aumento das vendas de seus produtos.”

Que continues registrando os quase ‘invisíveis’ e nos enchendo de emoção com teus textos e música de fundo. A polca escolhida é deliciosa e empolgante.”

Sim, a polca ‘Atraente’, composta de improviso por Chiquinha Gonzaga (1847 – 1935) numa festa, em 1877, cai bem com o temperamento alegre e jovial da Tetê. A execução é da pianista Rosária Gatti e do GRUPO NOSSO CHORO (Milton de Mori, cavaquinho; José Roberto, violão de sete cordas, e Marcelo Gallani, pandeiro).


 

A velhice só começa quando se perde o interesse.”

– JEAN ROSTAND (1894 – 1977), ‘Caderno de um Biologista’


 

Fernando Moura Peixoto (ABI 0952-C)

Meu vídeo: http://youtu.be/8m9PtRrftm4

Balas de Coco Carameladas da Tetê

(Caramelized Coconut’s Sweets)


 


 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook