Últimas

Artilheiro na primeira medalha do Brasil, Gilmar Popoca relembra Olimpíada de Los Angeles e acredita no ouro de Neymar

Ex-meia da Seleção Olímpica, foi o artilheiro dos Jogos Olímpicos de 1984 e comandou a equipe na conquista da primeira medalha do futebol brasileiro

Depois de algumas tentativas frustrantes nos Jogos Olímpicos, o Brasil chegou ao pódio pela primeira vez em 1984 numa missão que parecia quase impossível, já que a convocação definitiva foi feita as pressas e teve como base o time do Internacional eliminado precocemente no Campeonato Brasileiro daquele ano.

 

Com Jair Picerni no comando, 11 jogadores do Colorado formaram o grupo ao lado do o meia Gilmar Popoca, do Flamengo, o lateral-direito Ronaldo, do Corinthians, o goleiro reserva Luís Henrique e o atacante Chicão, da Ponte Preta, e o zagueiro Davi, do Santos.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Neymar não terá descanso após Rio2016 | O quarteto fantástico da Seleção | Renê Simões refefine “monstruosidade”


 

Completamente desacreditado a Seleção surpreendeu e chegou até a grande final derrubando adversários como a Itália, campeã do mundo e com jogadores do quilate de Walter Zenga, Aldo Serena, Franco Baresi e Franco Tancredi. 

 


(Foto: Getty Images)

 

Na grande final, porém, não resistiu a poderosa França que havia sido campeã europeia dois meses antes e contava com seis jogadores daquela conquista. E diante de 102 mil torcedores no Rose Bowl, em Pasadena, o Brasil perdeu por 2 a 0 mas faturou a primeira medalha olímpica do futebol na sua história.

 

Alguns jogadores daquele time vieram a ser campeões do mundo como Dunga e Gilmar Rinaldi mas quem realmente se destacou foi o meia Gilmar Popoca, decisivo ele terminou o torneio como artilheiro e marcou gols importantes como na vitória sobre a Itália, na semifinal. O camisa 10 também foi eleito pelo COI o melhor jogador da Olimpíada

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

Em entrevista exclusiva a Chevrolet Brasil Global Tour, o ex-meia da seleção olímpica, hoje técnico da equipe sub-20 do Flamengo, relembrou momentos da primeira medalha olímpica do futebol brasileiro e demonstrou confiança total na primeira medalha de ouro neste sábado(20), contra a Alemanha, no Maracanã.

 

 

BGT: Como era aquele grupo que conquistou a primeira medalha olímpica do futebol brasileiro?

 

Gilmar Popoca: Foi um grupo completamente diferente do que nós ja tinhamos vivido, inicialmente houve uma convocação e no final da temporada, da pré-temporada que nós fizemos com jogos e amistosos e premilinar da Seleção principal, a CBF decidiu trocar alguns jogadores, e nao havia mais tempo hábil para uma nova convocação, o tempo era muito curto, eles acabaram convocando a equipe do internacional que tinha um time maravilhoso, equipe espetácular. E eu encaixei muito bem naquele grupo. Dos convocados anteriormente ficaram apenas quatro ou cinco atletas e ai ao conhecer o grupo do Inter junto com Dunga, Mauro, Gilmar Rinaldi, Pinga, Milton Cruz, enfim jogadores extraordinários fui recebido com muito carinho, me abraçaram e a equipe fez um campeonato maravilhoso mesmo chegando lá na Olimpiada desacrecitado pq iamos jogar contra Seleções fortíssimas.

 


(Foto: Arquivo / CBF)

 

BGT: Como você encarou a oportunidade de disputar esta Olimpíada?

 

Gilmar Popoca: Foi um momento espetacular na minha vida, principalmente porque eu era um garoto não tinha nem 20 anos e de repente me deparo com uma convocação para seleção olimpica e ter essa oportunidade, a competição mais importante no mundo do esporte, foi maravilhoso, será guardado pro resto da minha vida, foi especial demais.

 


(Foto: Arquivo / CBF)

 

BGT: Você foi o artilheiro e melhor jogador do torneio, espera por isso?

 

Gilmar Popoca: Ser artilheiro naquele time foi muito bom, eu jogava numa equipe competitiva, técnica, e eu tive a liberdade de jogar como verdadeiro camisa 10 me aproximando da área, finalizando, criando situações para os meus companheiros da frente, então eu acho que foi maravilhoso, porque eu volto a dizer foi uma competição dificil, Alemanha, Itália, a própria França que levou o ouro eles foram com a base toda da Eurocopa. 70% daqueles atletas disputaram a Copa de 86. Jogadores que se destacaram em Copa do Mundo. Era uma competição de muito alto nível e nós brigando por uma medalha e eu podendo ser artilheiro no meio dessas feras todas. Principalmente porque eu contribui muito junto com o grupo nao se ganha nada sozinho foi um jogo de equipe eu acho que sinto muita saudade daquela galera.

 

BGT: Por que o ouro não veio naquela ocasião?

 

Gilmar Popoca: Na final, foi o que eu falei, era um jogo difícil, a França com a base da Eurocopa, séria candidata ao título, vários jogadores participaram da Copa de 86. Nós fizemos um jogo surpreendente, a França nao conseguia jogar.Tinhamos mais volume de jogo, mais presença de campo, mas infelizmente futebol é isso, é bola na rede e eu lembro que no intervalo do jogo o Jair conversou com a gente e falou nao muda nada, é manter o mesmo padrão que a medalha está proxima. Mas nos 20 minutos finais fomos surpreendidos com dois contra ataques deles e eles acabaram conseguindo os gols e aí desequilibrou um pouco a nossa equipe, ficou um pouco difícil. Com um gol a frente já é dificil, imagina com dois. De uma Seleção desacreditada que parecia apenas passear como muita gente falou e chegaar com uma medalha de prata foi algo muito honroso para aquela equipe, nao faltou disposição nem amor a camisa, faltou foi a bola ter entrado e entrou pro lado deles e a gente acabou perdendo essa medalha.

 

 

BGT: Está confiante na medalha de ouro desta vez? No Maracanã contra a Alemanha…

 

Gilmar Popoca: Sim, acho que o Brasil tem tudo para ganhar essa medalha, houve um ótimo planejamento, fizeram uma preparação adequada coisas que nao houve tempos atrás, não havia isso, se formava seleção de ultima hora e ia competir. Temos um dos melhores jogadores do mundo que é o Neymar, a confiança é grande, mesmo contra um adversário difícil, organizado, que tem o dilema do 7 a 1 deve haver o respeito mas a motivação tem um lado muito forte, os atletas vão se entregar ao máximo, é uma grande oportunidade de ganhar a  medlaha. O país quer muito essa medalha, não vai faltar entrega, dedicação mas não podem esquecer da qualidade deles que é grande. Que nós possamos ganhar essa medalha já que passamos perto em 84, e 88 então importante é que estamos sempre no pódio mas dessa vez com certeza no lugar mais alto dele.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook