Ateus vão à Justiça contra Bíblia no exército

31/08/2016 – 11:00

Militares cristãos do Colorado vencem “guerra judicial” e conquistam direito de terem Bíblia no escritório



Ateus vão à Justiça contra Bíblia no exército Ateus vão à Justiça contra Bíblia no exército

Que perigos uma Bíblia sobre uma escrivaninha poderia trazer para pessoas ao seu redor? Aparentemente, para a Fundação de Liberdade Religiosa Militar dos Estados Unidos, essa situação é inaceitável, principalmente pelo fato deles defenderem o lema: “Quando alguém usa o uniforme militar dos EUA com orgulho, existe apenas um símbolo religioso: a bandeira americana. Existe apenas uma escritura religiosa: a constituição americana. Finalmente, existe apenas uma fé religiosa: o patriotismo americano”.

O fato ocorreu na base da Força Aérea Peterson, no estado do Colorado – EUA. A fundação religiosa, na figura do seu representante, o militar aposentado das Forças Aéreas, Mikey Weinstein, acionou a área jurídica militar alegando que os cristãos, a exemplo do Major Lewis, estão “tentando remover o militarismo e descumprir a constituição”, alegando que a presença de uma Bíblia com passagens destacadas era um ato de coerção para as pessoas que estivessem próximo daquela estação de trabalho.

A insatisfação do militar Mikey para com a presença da Bíblia o fez enviar um pedido oficial para o 310º Regimento Asas do espaço, liderado pelo Coronel Damon Feltman. No texto, a solicitação mais clara proferida pelo militar insatisfeito foi de uma “punição severa para essa grande violação”.

Damon aceitou a solicitação do oficial aposentado Mikei e durante o processo investigativo proibiu a utilização da Bíblia sobre as mesas.

A resposta oficial exibida após as investigações saiu através do Relações Públicas do 310º regimento, Coronel David Fruck:

“Como solicitado, nós analisamos a situação. Nós concluímos que nenhum abuso a liberdade foi cometido, e o comportamento do Major Lewis e o seu ambiente de trabalho estão dentro das instruções da Força Aérea. Normas da Força Aérea, parágrafo 2.11 e 2.12, Livre exercício da religião e acomodações religiosas e equilíbrio do livre exercício da religião”.

A primeira regulação (2.11) permite liberdade religiosa enquanto as ações tomadas não mostrem parcialidade ou coerção sobre uma religião particular. A segunda (2.12) narra o livre exercício da religião, permitindo acomodações religiosas enquanto elas não violem os padrões estabelecidos na regulação anterior.

Em resposta o grupo solicitante do processo contra a Bíblia fez um novo pedido para revisar todos os documentos relacionados a investigação. Em outras palavras, a fundação militar irá recorrer.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook