Últimas

BH tem queda nas mortes por arma de fogo em 10 anos, revela Mapa da Violência

Em 10 anos, Belo Horizonte teve queda de quase 46% nos assassinatos por arma de fogo, enquanto Minas Gerais teve aumento de 2,5%. É o que revelam os dados do Mapa da Violência 2016 – Homicídios por Armas de Fogo no Brasil. Publicado pela primeira vez em 2005, o levantamento foi coordenado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diretor de pesquisa da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso).

Nesta edição, a equipe se debruçou sobre a evolução dos homicídios por armas e fogo no Brasil entre 1980 e 2014, também estudando a incidência de vários fatores como sexo, cor e idade das vítimas. A fonte básica dos dados é o Subsistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS), cujos dados são divulgados anualmente desde 1979.

Segundo o levantamento, em 2004, Belo Horizonte registrou 1.351 assassinatos por arma de fogo, contra 731 em 2014, o que representa queda de 45,9%. Durante o período, houve aumento no número de mortes por tiros em dois momentos: de 696 para 803 entre 2010 e 2011; e de 793 para 840 entre 2012 e 2013.

Considerando a taxa de mortes por arma de fogo a cada 100 mil habitantes, o Mapa da Violência revela que a redução melhorou a posição de BH entre as 27 capitais. Em 2004, a cidade era a 3ª em número de assassinatos por arma, com 58,1 a cada 100 mil. Ela ficava atrás de Vitória (66,0) e Recife (77,8). Em 2014, com taxa de 31,2, Belo Horizonte caiu para a 17ª posição.

Na análise por estado, Minas Gerais atualmente ocupa a 20ª posição entre os estados em relação à taxa de mortes por arma de fogo a cada 100 mil habitantes. Em 2014 eram 16,4 contra 8,9 em 2000, quando o estado se encontrava no 21º lugar. Em números absolutos, Minas teve 3.255 assassinatos por arma, número que chegou a 3.455 em 2013 e recuou para 3.338 no ano seguinte, revelando aumento de 2,5% em 10 anos. Entre 2013 e 2014, a queda foi de 3,4%.

Nos quatro estados da região Sudeste do Brasil, além de Minas, apenas o Espírito Santo teve aumento no número de mortes entre 2004 e 2014. O crescimento foi de 8,6%. No Rio de Janeiro, os assassinatos por arma de fogo caíram 42,2% (6.193 em 2004 para 3.582 em 2014). Em São Paulo, a queda foi de 53,7 (7.611 em 2004 para 3.524 em 2014).

O Mapa da Violência revelou que dois terços das cidades mais violentas do país estão no Nordeste. Dos 150 municípios com as maiores taxas de homicídios por arma de fogo, 107 ficam na região. Os dados se referem ao período entre 2012 e 2014. Apenas duas cidades mineiras estão na lista, e ambas ficam na Região Metropolitana de Belo Horizonte: São Joaquim de Bicas teve taxa média de 70,8 mortes a cada 100 mil habitantes e aparece na 27% posição. A segunda é Betim, com taxa 50,0 mortes por arma, figurando na posição de número 100.

Homens são maioria
Ainda segundo o levantamento, os homens representam 94,4% das vítimas de morte por arma de fogo no Brasil. Em Minas Gerais, no ano de 2014, morreram 3.173 homens e 163 mulheres. Os negros representam a maioria das vítimas, naquele ano, as armas de fogo causaram a morte de 2.471 negros, contra 795 brancos, conforme o Mapa da Violência. A maioria das vítimas é jovem. De acordo com a pesquisa, 2.107 vítimas tinham entre 15 e 29 anos. Outras 44 tinham menos de 14 anos.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook