Bichos de 'Êta Mundo Bom' vão deixar saudade; veja curiosidades

Flávia Alessandra em cena de Êta Mundo Bom com a porquinha Nina no colo (Foto: Globo/João Cotta)Flávia Alessandra em cena de “Êta Mundo Bom” com a porquinha Lili no colo (Foto: Globo/João Cotta)

Assim como os atores de “Êta Mundo Bom!”, o elenco formado pelos animais da novela das seis também teve lá as suas particularidades. Muitos desses “atores” até precisaram de uma certa dose de “psicologia animal” para se comportar bem em cena.

Dá para acreditar que o chiuahua de Claudio (Xande Valois) adorava ir para os Estúdios Globo gravar a novela? Segundo a produtora de arte de “Êta”, Isabela Sá, ao chegar para ‘trabalhar’, o cãozinho se sentia em casa e era mimado com muitos petiscos.

Para se acostumar com seu dono na história, o chiauhua ficou uma semana convivendo com Xande em sua casa. Isso foi importante não só para o animal se acostumar com o ator, mas principalmente para o menino aprender a conviver com um bicho, já que nunca havia tido um animal de estimação na vida. “O relacionamento com o Xande foi legal, porque ele nunca havia tido contato com um cachorro. Ele não sabia se relacionar com o cãozinho, não sabia como pegar, tinha medo de machucar. Na casa dele, eles dormiram juntos, o Xande o levou pra passear, o alimentou… Hoje eles tem uma relação muito boa”, contou Isabela.

Policarpo, o burrinho, era hiperativo e conseguia se acalmar quando lhe ofereciam uma cenoura. Mas tudo não passava de carência, conclui Isabela. “Ele ficava pedindo atenção. Já nas cenas de externa ele era ótimo, pois tinha como pastar e assim ficava mais solto e mais tranquilo. A Rita (a burrinha) era um pouco assustada. Ela ainda não estava acostumada com a cenoura e nós a habituamos com essas recompensas.” Conviver com Rita, aliás, não foi problema para Policarpo. Os dois moram juntos e ele virou referência para ela. “Onde ele entra, ela entra. Ela é que é mais dependente dele, confia muito nele”, diz a produtora.

Já a porquinha – que “interpretou” duas “personagens” ao longo da trama – Lili e Nina – era muito sensível. Segundo a produtora de arte, ela só gostava que a segurassem de um jeito: com as quatro patinhas juntas porque tinha medo de altura. “Se segurássemos um pouquinho diferente ela não gostava. Isabela conta ainda que Lili e os outros porquinhos não resistiam a uma cosquinha na barriga. “Se você fizesse carinho na barriga dos porquinhos, eles se jogavam no chão, adoravam. Todo mundo adorava brincar com ela.”

Viciada em comida, Lili enlouquecia ao ver algum ator com uma guloseima. Mas, para tristeza da porquinha, ela era obrigada a seguir a linha fitness. “Ela tem uma alimentação bem regrada. Come apenas legumes, verduras, frutas e um ovo cozido, que é a fonte de proteína dela”, conta a produtora.

Para ir “trabalhar”, a porquinha chegava no capricho! “Ela vinha muito cheirosa para as gravações. Com hidratante e perfume de petshop. A Lili tinha cheiro de poodle. Ela adorava tomar banho com água morna, estava sempre cheirosa!”, conta Isabela.

Anderson Di Rizzi e Camila Queiroz (Foto: Paulo Belote/Globo)Anderson Di Rizzi e Camila Queiroz com Nina (Foto: Paulo Belote/Globo)
Sergio Guizé (Foto: Paulo Belote/Globo)Sergio Guizé e Policarpo (Foto: Paulo Belote/Globo)
Marco Nanini e Flávia Alessandra (Foto: Paulo Belote/Globo)Marco Nanini, Kenya Costta,  Nathália Costa e Flávia Alessandra com o comilão (Foto: Paulo Belote/Globo)

 

Os burrinhos de Êta Mundo Bom (Foto: Paulo Belote/Globo)Os burrinhos de “Êta Mundo Bom” (Foto: Paulo Belote/Globo)
Xande Valois, o Claudinho (Foto: Paulo Belote/Globo)Xande Valois, o Claudinho (Foto: Paulo Belote/Globo)
Xande Valois e Guilhermina Guinle (Foto: Paulo Belote/Globo)Flávio Tolezani, Xande Valois e Guilhermina Guinle (Foto: Paulo Belote/Globo)

 


Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook