Últimas

CBGT: Cinco lições de Brasil vs Iraque

Sob vaias, a Seleção Brasileira jogou mal e apenas empatou com o Iraque pela segunda rodada do grupo A do torneio de futebol da Olimpíada do Rio

No duelo contra o Iraque pela segunda rodada do grupo A do torneio de futebol da Olimpíada do Rio, a Seleção Brasileira mais uma vez decepcionou os torcedores de Brasília. Com atuação fraca não criou grandes oportunidads, sofreu com vaias e gritos de “Marta, Marta” durante a partida.

 

Apesar do empate, o Brasil só precisa de uma vitória contra a Dinamarca para conquistar a classificação para a próxima fase do torneio.

 

Abaixo, a Chevrolet Brasil Global Tour destaca os principais pontos do empate da Seleção.:

 


GABRIEL JESUS NERVOSO


 

 

Definitivamente hoje não foi um bom dia para Gabriel Jesus que além de não conseguir repetir na Seleção as atuações pelo Palmeiras esteve bastante descontrolado e nervoso dentro de campo diante do Iraque. Além disso falhou em duas boas oportunidades no primeiro tempo. Claramente o mais novo reforço do Manchester City está sentindo a pressão não só pelo ouro mas também pela expectativa depositada em cima dele.

 


NEYMAR APAGADO E GRITOS POR MARTA


 

 

Apesar da fraca atuação contra a África do Sul, Neymar não se omitiu bem diferente do que aconteceu contra o Iraque. O jogador apareceu bem pouco, arriscou quase nada e até as duas cobranças de falta que teve pararam na barreira. Lento e facilmente marcado por Ali Ali, o camisa 10 da Seleção ouviu os gritos de “Marta, Marta” (jogadora da Seleção feminina de futebol) todas as vezes em que tocava na bola no segundo tempo. 

 


WEVERTON SEM CONFIANÇA


 

 

Se na estreia percebemos o goleiro um pouco nervoso isso se repetiu com mais intensidade contra o Iraque. Erros de reposição e saídas do gol foram os pontos mais marcantes da atuação do arqueiro na segunda partida. Inclusive a grande oportunidade do time iraquiana saiu após uma falha do goleiro que viu a bola bater na trave e passar muito perto do gol brasileiro.

 


4-2-4 RELÂMPAGO


 

 

Durante a preparação da Seleção Brasileira na Granja Comary, Rogério Micale por vezes testou o 4-2-4 e chegou a dizer que jogaria assim caso achasse necessário. E jogou em boa parte do amistoso contra o Japão e em boa parte do segundo tempo contra a África do Sul. Mas contra o Iraque o esquema durou apenas 9 minutos. O treinador voltou do intervalo sem Felipe Anderson e com Luan, mas exatos 9 minutos depois desistiu do esquema e sacou Gabriel Jesus para entrada de Rafinha. 

 


RAFINHA FISICAMENTE SEM CONDIÇÕES


 

 

Muito se esperava de Rafinha, o próprio Rogério Micale deixou isso claro em algumas oportunidades. Depois de uma atuação apagada contra a África do Sul mais uma vez o meia não conseguiu se encontrar na partida contra o Iraque, mesmo tendo 45 minutos em campo não correspondeu. Em certos momentos do jogo até pareceu não ter condições físicas de estar alí. O que era para ser uma boa arma para a Seleção acaba não funcionando e deixando Micale quase que sem alternativas.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook