Últimas

Desvios de R$ 4,5 milhões pagavam dívidas de políticos, diz investigação

Segundo a polícia, dirigentes e colaboradores da Saneago faziam licitações fraudulentas mediante a contratação de uma empresa de consultoria envolvida no esquema criminoso. Dinheiro do PAC, de empréstimos obtidos no BNDES e na Caixa “foram desviados para pagamento de propinas e dívidas de campanhas políticas”. “Outra forma de atuação da organização criminosa consistia no favorecimento pela consultoria contratada pela Saneago a empresas que participavam do conluio e que eram responsáveis, posteriormente, por doações eleitorais.”

O presidente da Saneago, José Taveira Rocha, foi preso, segundo apurou o Correio. Também foi preso o presidente do PSDB no estado e diretor de Expansão da estatal, Afreni Gonçalves Leite. A PF cumpre mandados na sede do PSDB. Taveira é ligado ao grupo mais próximo ao governador do estado, Marconi Perillo (PSDB). Mas não há informações sobre o eventual envolvimento de Perillo no caso.

Ao todo, são 11 ordens de prisão preventiva, quatro de prisão temporária (por cinco dias), 21 de condução coercitiva e 67 de busca e apreensão. As ações acontecem na sede de empresas envolvidas e de um partido político ainda não revelado, além de residências e outros endereços relacionados aos investigados. Os mandados são cumpridos em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Formosa (GO), Itumbiara (GO), São Paulo e Florianópolis. A Jsutiça determinou o afastamento da função pública de oito servidores e a proibição de comunicação entre nove envolvidos.

A reportagem procurou o PSDB Nacional e a assessoria de Perillo e da Sanego, mas não obteve esclarecimentos até o momento.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook