Últimas

Dilma Rousseff cita ditadura e diz que sente ''o gosto amargo da injustiça''

Após a sessão ser aberta às 9h40, a presidente afastada Dilma Rousseff iniciou seu depoimento relembrando o início da carreira política. Citou a luta contra a ditadura e o dia que foi eleita para assumir o segundo mandato, em 1º de janeiro de 2015. “Fui eleita por mais de 54 milhões de votos. Respeitei o compromisso que assumi perante a nação”, iniciou.

No discurso, Dilma também disse que jamais praticaria atos contrários dos que a elegeram e afirmou não ter cometido crime de responsabilidade. “Diante das acusações, não posso deixar de sentir na boca novamente o gosto áspero e amargo da injustiça, e como no passado, resisto”.

A presidente afastada agradeceu o apoio e carinho que recebeu do povo e afirmou que luta pela democracia, pela verdade e pela justiça

Dilma Rousseff terá 30 minutos para fazer sua defesa. O tempo pode ser prorrogados por tempo indeterminado, a critério do presidente do STF, Ricardo Lewandowski.

Logo após a fala da presidente afastada, Lewandowski é o primeiro a fazer questionamentos. Em seguida, os senadores podem fazer perguntas à presidente. Cada senador terá cinco minutos para perguntar.

Dilma pode usar o tempo que achar necessário para responder. Não há réplica. Com o fim das perguntas, começa o debate entre defesa e acusação. Os advogados de acusação e defesa podem falar por até uma hora e meia, com réplica e tréplica de uma hora.

Veja as frases da presidente afastada Dilma Rousseff durante a defesa no Senado:

“O que está em jogo é o futuro do país, a oportunidade e a esperança de avançar sempre mais”.

“É por ter minha consciência absolutamente tranquila que venho pessoalmente para olhar diretamente nos olhos de Vossas Excelências e dizer que não cometi nenhum crime dos quais fui acusada. Hoje o Brasil, o mundo e a história nos observam “

“Não luto pelo meu mandato por vaidade ou apego ao poder. Luto pela democracia, pela verdade e pela Justiça. Pelo povo e pelo seu bem-estar”

“Dediquei todos esses anos da minha vida em luta por uma sociedade livre de preconceitos de discriminações, onde não houvesse miséria e excluídos. Disso tenho orgulho. Quem acredita, luta”

“Ao exercer a Presidência da República, respeitei o compromisso com a nação e com os que me elegeram”


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook