Últimas

Dois suspeitos de atirar em soldados da Força Nacional foram identificados

Integrantes da Força Nacional de Segurança foram alvejados por criminosos após entrarem por engano em um carro da corporação, na Vila do João, comunidade dominada por traficantes no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na tarde de ontem. Um praça ficou gravemente ferido e um oficial foi atingido por estilhaços, mas passa bem.

Atingido no rosto por um tiro de arma longa, o soldado Hélio Andrade, da Polícia Militar de Roraima, estava em estado gravíssimo. Foi encaminhado para cirurgia de urgência no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, Zona Norte da capital fluminense. Até as 20h de ontem, ele ainda era operado. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, esteve no hospital. “Acreditamos que ele vai sobreviver a isso”, afirmou.

Em entrevista na porta do Hospital Municipal Salgado Filho, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, disse que o soldado chegou consciente ao hospital e que a previsão era de que a cirurgia, complexa, durasse até quatro horas. O secretário evitou falar em risco de morte. “Ele está nas mãos da nossa melhor equipe de neurocirurgia.”

O capitão Allen Marcos Rodrigues Ferreira, da PM do Acre, que também estava no carro, foi ferido por estilhaços e socorrido no Hospital Municipal Evandro Freire, mas foi liberado ontem. O terceiro militar, o soldado Rafael Pereira, do Piauí, não teve ferimentos. De acordo com Moraes, as forças de inteligência já identificaram dois dos criminosos envolvidos no ataque. “Vamos atuar para prender essas pessoas rapidamente.”

O ministro se reuniu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) com representantes das polícias Federal, Civil, Militar e Rodoviária Federal e com a Secretaria Nacional de Segurança Pública. O objetivo é planejar uma possível operação, com o fim de “evitar futuros fatos”.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook