Em ótima fase, Palmeiras precisa superar trauma de 2009; veja comparação

Duelo com Flamengo é semelhante, mas zagueiro Danilo vê elenco de 2016 mais forte para buscar título


GOAL Por Allan Brito 


Em 2009, na 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras estava na liderança e pintava como favorito ao título. Sete anos depois, o time está em situação parecida, mas terá que superar o trauma do que aconteceu naquela época. O Flamengo conseguiu uma arrancada na reta final, aproveitou a queda de rendimento palmeirense e foi campeão. O time alviverde não conseguiu sequer a classificação para a Copa Libertadores.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Líder cauteloso | Vantagem alviverde | Veja chances de cada time


Com o bom futebol apresentado pelo time de Cuca, qualquer palmeirense está louco para se empolgar e ficar otimista. Mas o trauma de 2009 deixa todos discursos cautelosos. “Tem muito chão ainda, muita coisa para rolar, é uma vantagem muito curta”, disse Cuca, neste domingo (28). “Não vamos falar que estamos com jeito de campeão. Vamos deixar este alvoroço para a torcida”, afirmou Jailson.

De acordo com personagens de 2009, existe uma diferença evidente entre aquele time e o atual: a força do elenco. Em entrevista exclusiva à Goal, o zagueiro Danilo, que hoje está na Udinese e era um dos líderes daquele grupo, destacou exatamente esse ponto.

“Existe uma grande diferença daquele time para esse time de hoje. Eu acompanho e até fui assistir aí um jogo contra o Fluminense. A principal diferença que vejo é um elenco forte. Naquela época tinha poucas peças de reposição para um Brasileirão”, afirmou Danilo, antes de destacar alguns nomes: “jogadores como Barrios, Rafael Marques, Fabricio, Edu Dracena e Egídio, que ficam no banco, poderiam jogar em qualquer time como titular”.

Em entrevista recente à Rádio Bandeirantes, o técnico de 2009, Muricy Ramalho, mostrou a mesma opinião: “quando perdemos o Maurício Ramos, o Pierre e o Cleiton Xavier, perdemos o campeonato. Ficamos sem a espinha dorsal”.


Time de 2009 teve muitas mudanças, mas essa era a base (Foto: Goal)


Thiago Santos e Erik também costumam ter chances no time titular (Foto: Goal)

Danilo só acrescenta, porém, que a pressão e a expectativa no Palmeiras são muito altas e será preciso lidar com isso: “se você joga em uma grande equipe e que vem em um grande rendimento, mas começa a perder na reta final, a pressão que cai sobre você é forte. O Palmeiras e a torcida estavam com uma grande esperança, como a gente. Mas o campeonato é muito longo e houve uma queda de rendimento”.

Entre os times que podem estragar a festa do Palmeiras, está novamente o Flamengo, que conseguiu uma arrancada nas últimas rodadas e alcançou a vice-liderança. Danilo admite que não é fácil enfrentar o Rubro-Negro nesses momentos: “a gente perdeu o título para o Flamengo, que quando embala é complicado. O time tinha jogadores importantes, como Adriano, Emerson e Pet. E alguns dos nossos principais jogadores tiveram queda de rendimento pelo excesso de jogos”, comparou.

Em 2009, a decadência do Palmeiras começou na 34ª rodada, pois o time perdeu a liderança ao sofrer uma derrota contra o Fluminense fora de casa. Em 2016, esse jogo contra o tricolor carioca foi neste domingo (28) e na prática só aumentou o otimismo alviverde. Ou seja: aconteceu exatamente aquilo que o palmeirense quer – que a temporada atual seja totalmente diferente daquela traumática de sete anos atrás.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook