Últimas

“Estamos vivendo um dos períodos mais ricos da musica cristã”, afirma Carlinhos Veiga


31/08/2016 – 10:00


Cantor falou sobre os dez anos do Nossa Música Brasileira (NMB)




“Estamos vivendo um dos períodos mais ricos da musica cristã”, afirma Carlinhos Veiga
(créditos da foto: Carlinhos Veiga/Facebook)

O cantor e compositor Carlinhos Veiga, ex-integrante do Expresso Luz e em carreira solo há vinte anos, falou sobre a cultura brasileira na música cristã em entrevista ao Super Gospel. O artista crê que a música feita por cristãos no Brasil está preparada para lidar com a riqueza de ritmos e sons encontrados em diferentes regiões do território.

Uma destas expressões de brasilidade está no evento Nossa Música Brasileira, realizado pela Fundação Jovens da Verdade e que em 2016 chegou à sua décima edição. “O NMB faz parte de um fantástico movimento da música popular brasileira, produzida por cristãos. Juntamente com Som do Céu, Prosa e Canto, Som no Cerrado e vários outros palcos, o NMB compõe esse movimento não planejado, mas que surgiu naturalmente”.

Para a décima edição do evento, Carlinhos compôs a música “No Coração do Brasil” ao lado dos também cantores e compositores Gladir Cabral e Jorge Camargo. Empolgado, Veiga têm uma visão positiva da contemporaneidade. “Costumo dizer que estamos vivendo um dos períodos mais ricos da musica cristã em nosso país. Nele é possível identificar muitas matizes, cores e texturas. Tem pra todo tipo de gosto”, diz.

O cantor lançou este ano o EP Aurora Me Raiou, disponível nas principais plataformas digitais. Neste trabalho, Carlinhos explora os sons regionais pelos quais se tornou conhecido, especialmente em discos como Mata do Tumbá, de 2002. Mas, desta vez, funde elementos eletrônicos e outros gêneros, como o jazz.

Mesmo não podendo estar nesta edição comemorativa do NMB, Carlinhos prestou apoio. “O NMB […] é um espaço de encontro, de motivação, de inspiração para os artistas. O palco é muito importante, mas é apenas um dos elementos que tornam esses encontros tão especiais”.

“Aproveito […] para pedir aos produtores desses eventos que não desistam. Sabemos que não é fácil organizar um evento como esse. Mas é por meio dele que surgirão novos artistas; e será por meio deles que os antigos serão abastecidos e animados para prosseguirem nessa lida que, via de regra, é solitária e um tanto incompreendida”, afirmou o cantor.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook