Últimas

Ex-executivos de construtora estão entre alvos da Operação Resta Um

Entre os alvos da Operação “Resta Um” estão dois ex-executivos da Construtora Queiroz Galvão. São eles o engenheiro Ildefonso Collares Filho e Othon Zanoide de Moraes Filho. Os mandados contra eles são de prisão preventiva, ambas no Rio de Janeiro. O mandado de prisão temporária é para Marcos Pereira Reis. No entanto, ele ainda não foi preso, pois está no exterior.

No total, a 33ª fase da Lava-Jato cumpre, desde a madrugada, 32 mandados judiciais em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás, Pernambuco e Minas Gerais. São 23 mandados de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 1 de prisão temporária (detenção por cinco dias) e 6 de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento (veja lista abaixo). Os alvos são dirigentes e funcionários da Queiroz Galvão e do consórcio Quip S/A, do qual a empreiteira era acionista líder. O ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e seu ex-chefe de gabinete, Armando Tripodi, não estão entre os alvos, apurou o Correio.

A Lava-Jato apura a participação da Construtora Queiroz Galvão para barrar a CPI da Petrobras em 2009. Cerca de 150 policiais federais estão nas ruas de seis estados cumprindo mandados de prisão, de busca e de condução coercitiva ordenados pelo juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Fernando Moro. “Há indícios, que incluem a palavra de colaboradores e um vídeo, de que R$ 10 milhões de reais em propina foram pagos pela Queiroz Galvão com o objetivo de evitar que as apurações da CPI tivessem sucesso em descobrir os crimes que já haviam sido praticados até então”, informa a Procuradoria da República no Paraná. Em depoimento, o ex-diretor da petroleira Paulo Roberto Costa disse que o dinheiro foi pedido pelo falecido senador e ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra (PE) o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), que responde a inquérito específico no Supremo Tribunal Federal.

A Queiroz Galvão faz parte do chamado “cartel das empreiteiras” que combinava licitações, superfaturava obras na Petrobras e distribuía um percentual de 1% a 3% em propinas para políticos, partidos e funcionários da estatal. 

Confira a lista de mandados da 33ª fase da Lava-Jato

Goiás

2 mandados de busca e apreensão em Goiânia

2 mandados de condução coercitiva em Goiânia

Minas Gerais

2 mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte

1 mandado de busca e apreensão em Santa Rosa da Serra

2 mandados de condução coercitiva em Belo Horizonte

Pernambuco

1 mandado de busca e apreensão no Recife

1 mandado de condução coercitiva no Recife

Rio Grande do Sul

2 mandados de busca e apreensão em Rio Grande

São Paulo

2 mandados de busca e apreensão em São Paulo

1 mandado de busca e apreensão em Barueri

Rio de Janeiro

11 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro

1 mandado de busca e apreensão em Angra dos Reis

2 mandados de prisão preventiva no Rio de Janeiro

1 mandado de prisão temporária no Rio de Janeiro

1 mandado de condução coercitiva no Rio de Janeiro


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook