Homem que matou agente da PRF em AL é condenado a 20 anos de prisão

Jeová Rodrigues de Lima deve cumprir pena em regime fechado. Ele atirou contra o policial durante uma abordagem em Ouro Branco

 

A Justiça Federal condenou o réu Jeová Rodrigues de Lima a 20 anos de prisão, em regime fechado, pela morte do agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Luiz de Gonzaga Pereira Santos. Jeová Lima foi condenado por homicídio triplamente qualificado durante o julgamento que aconteceu nesta terça-feira (23), no Fórum da Justiça Estadual, em Santana do Ipanema.

Na ocasião, a juíza Camila Monteiro Pullin Milan acatou a acusação do Ministério Público Federal (MPF) e além da condenação negou o pedido da defesa de Jeová Lima, que solicitou que ele cumprisse a pena em liberdade. Diante disso, ele permanece detido no Presídio Cyridião Durval, em Maceió.

No Tribunal do Júri, o conselho de sentença condenou o réu pelo crime denunciado pela procuradora da República Juliana Câmara: Homicídio triplamente qualificado, pelo motivo fútil, por meio insidioso e mediante recurso que dificulta a defesa do ofendido.

Crime
O assassinato do agente da PRF aconteceu no dia 10 de maio de 2015 durante uma abordagem policial realizada na BR-423, no município de Ouro Branco.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Luiz de Gonzaga Pereira Santos estava em uma guarnição que foi acionada para atender a uma colisão lateral entre um veículo não identificado e uma motocicleta, que deixou duas pessoas mortas.

Segundo a PRF, no momento em que os policiais faziam levantamento no local da ocorrência, diversas pessoas se aproximaram do local. Por isso, os policiais rodoviários pediram para a população se afastar.

Entre os curiosos estava Jeová Lima, que se desentendeu com o policial. Na sequência ouve luta corporal e ele atirou contra Luiz Gonzaga, que não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook