Últimas

Jogadores do Atlético-MG justificam fraca atuação, e paranaenses detonam arbitragem

Galo venceu por 1 a 0 com gol de Robinho de pênalti; visitantes reclamam da penalidade, e também de um lance não marcado a seu favor

A vitória do Atlético-MG sobre o Atlético-PR por 1 a 0 dividiu muitas opiniões. Enquanto os mandantes justificaram a sua fraca atuação e reclamaram do horário do jogo, o Furacão saiu de campo com os ânimos exaltados e detonou a arbitragem da partida. Confira o que os personagens do jogo disseram após o apito final!


Robinho


 Bruno Cantini/Atlético-MG/Divulgação

“O jogo foi difícil até pelo horário. Não deu para manter o ritmo no segundo tempo, mas a gente sai feliz principalmente pelo resultado. Sabemos que temos que melhorar, claro que queríamos jogar um pouco melhor, mas foi importantíssimo.”


Leandro Donizete


“O calor prejudica muito. Estava nublado, mas estava muito quente ali dentro, abafado, mas não é desculpa não. Quando a bola chegava para nós, volantes, estávamos sem saída. Nosso pontas cansaram. É difícil manter o jogo na velocidade e no ritmo que eles jogam, mas o importante foi os três pontos. É o placar que manda.”


Victor


“O adversário vem bem na competição, vem fazendo uma boa campanha. É difícil você jogar na intensidade que habitualmente a gente joga. Fica mais abafado, o campo fica mais seco, a bola prende um pouco mais, mas, como falei, o mais importante foi a vitória que nos coloca em condição de brigar novamente pelo título.”


Marcos Rocha


 Bruno Cantini/Atlético-MG

“Confronto direto, a gente empatou lá, mas agora conseguiu os três pontos aqui em casa. Importante a vitória para manter a sequência, nem sempre faremos uma partida espetacular, ou vamos golear. A gente tem objetivo de se manter no G-4 até o final do campeonato para buscar o título. Estamos de parabéns pelos três pontos e temos que agradecer a presença de todos.”


Marcelo Oliveira


“Vitória de fundamental importância na nossa caminhada. Às vezes vai ser com dificuldade mesmo, o campeonato é assim e é assim para todo mundo. Tem que estar muito perseverante, convicto e entrega, em determinados jogos. Tivemos muitas ações ofensivas, mas desperdiçamos algumas chances. Tivemos maior posse de bola e lutamos contra um time que é muito rápido. Temos que comemorar muito, nos dá uma condição boa. Mas vamos discutir o jogo, pois é preciso ter uma atuação mais regular.”

“Não precisava ser com tanta dificuldade, sofrimento e drama, por causa do coração do técnico. Mas faz parte do jogo, estávamos firmes em campo. Mas no campeonato dos pontos corridos isso é básico, ter um aproveitamento alto em casa e buscar pontos fora. Quando se tem um concorrente direto, caso do Atlético-PR, somamos um ponto lá e três aqui. Tem de ser assim.”


Paulo Autuori


 Gustavo Oliveira/Atlético-PR/Divulgação

 “A gente fica iludido com a medalha de ouro. Foi bom ter ganho, mas o futebol brasileiro continua aí. As pessoas falando besteiras e os árbitros fazendo o que querem. Tivemos chances e devemos lamentar porque num lance patético, perdemos a partida. Eu já não tinha entendido na hora, vi o lance depois da TV e continuo não entendendo. Além disto, um cara de uma rádio ofendeu o nosso jogador [Marcos Guilherme]. Acha que sabe de tudo. Umberto Eco disse que a internet deu voz para estúpidos. Infelizmente, os veículos de comunicação também. As pessoas têm o direito de dar opinião, mas não de ofender. Dá vontade de parar de trabalhar no Brasil. “

“Eu já falei da minha classe. Falei dos técnicos. Vocês [jornalistas] precisam falar dos seus companheiros também. Faltam pessoas de coragem no futebol. Como um cara consegue dizer que o juiz acertou num lance destes? Tem que ter discernimento”.

 “Taticamente estamos muito bem. Tenho certeza que podemos fazer um grande segundo turno, se deixarem. Os juízes têm vontade de dar pênalti para alguns times e para outros não. Só houve um pênalti para nós no campeonato inteiro. Na Série B, a gente vê o líder com pênaltis em quase todos os jogos. Temos que ser críticos a nós também, mas hoje um empate seria o resultado mais justo pelo que produzimos.  Saio daqui com muita bronca para não dizer outra coisa porque não posso.” 


Luiz Sallim Emed, presidente do Atlético-PR


“É uma coisa vergonhosa. Os meninos jogaram bem. Se dá um de um lado, tem que dar do outro. O cara do Atlético-MG pegou a bola. Não adianta porra nenhuma fazer representação contra a arbitragem na CBF. Vai ficar um papel só lá. A gente faz e o que acontece? Não adianta porra nenhuma. Posso até ser punido, que eu seja.”  

“Ouvir isso [declaração do Autuori] é muito grave. Sempre administrei conflitos, o que está acontecendo é inaceitável. Preste atenção no que vai acontecer com o Atlético-PR depois de tudo o que estamos falando. O futebol brasileiro tem que ter esta alegria como foi a da medalha de ouro ontem, mas isto não basta. Temos que mudar toda a estrutura, não é só reclamar de pênalti. Todo mundo sabe o caminho. Estou há seis meses no Atlético-PR e já vejo o quanto é difícil”. 


Marcão


“Fomos prejudicados. Não foi pênalti para eles e houve um toque na mão para nós.”


Marcos Guilherme


 Heuler Andrey / Stringer / Getty Images

“Eu dou entrevistas com toda a tranquilidade, mas estou muito triste com estas mentiras ditas no ar. Tenho só 21 anos, mas tenho minhas responsabilidades. Não sou mais nenhum menino. As mentiras afetam a mim e a minha família. O que a torcida vai pensar? Você foi irresponsável.”


André Lima


“No lance dentro da área deles, a trajetória da bola foi cortada com o braço. Mas a equipe está de parabéns. Mostramos que podemos ganhar de qualquer um.”


GOAL VEJA TAMBÉM: GOAL
Crônica: Brasil x Alemanha | A partida de Neymar x Alemanha  | As melhores imagens de BRA x ALE



Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook