Últimas

Ninho do Urubu: A razão para acreditar no título é que o Flamengo cresceu no momento certo

“O Rubro-Negro é a equipe que mais tem crescido e parece que ainda não está no auge da sua qualidade técnica e tática”.



GOAL Por Bruno Guedes


Enquanto a torcida Rubro-Negra brinca, sempre muito bem humorada como as do Rio, que “o cheirinho de hepta está forte”, os resultados mostram que as brincadeiras não são tão irreais assim. Se no começo do campeonato o Flamengo estava claudicante, principalmente por conta da incerteza sobre o que Zé Ricardo poderia render, agora o time é outro. E o crescimento da equipe aconteceu no momento certo, justamente quando todos os demais já tiveram seu viés de alta e começam a perder a “gordura acumulada”.

Quando começou o Brasileirão, Palmeiras e Corinthians arrancaram de uma forma que parecia que disputariam até o fim ou disparar. Já no meio, Atlético-MG, Santos e Grêmio se juntaram ao grupo, com o Flamengo ainda tentando se encontrar. Agora que chegamos próximo do final do torneio, Flamengo, Palmeiras e o Galo são os que se destacam, mas com perspectivas diferentes entre eles.

Zé Ricardo: escolha acertada (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Se o Palmeiras se manteve em alta durante quase todo o campeonato e venceu os que hoje estão próximo dele, já começa a oscilar. Continua ainda fortíssimo, vertical e fatal com a bola, mas não consegue pontos. Só que a solidez que demonstrava não é mais a mesma contra alguns adversários. Já o Atlético é o oposto, cresceu por sua qualidade individual e acumula pontos decisivos contra adversários diretos.

Porém o Flamengo é a equipe que mais tem crescido e parece que ainda não está no auge da sua qualidade técnica e tática. Com a entrada do Diego, Zé Ricardo conseguiu montar dois esquemas distintos, um 4-3-3 que vira 4-1-4-1 sem a bola, mas que pode variar para um 4-4-2 clássico, como fez contra a Chapecoense. Essa recursividade em modificar conforme seus adversários tem mexido bem com a tabela e pego pontos que levaram o Rubro-Negro à vice-liderança.

Mexeu no time, testou jogadores e parece se aproxima da equipe ideal. Cuca já tem o dele e agora luta para mantê-lo em alta. Zé para fechá-lo e subir mais. 

Dos três clubes citados, o time da Gávea é o que mais ainda tem crescer por conta dos jogadores e tática que ainda se estruturam. Se vai conseguir ou não, é outro contexto que precisamos esperar. Flamengo enfrenta o Palmeiras dia 14 de setembro e o Atlético em 29 de outubro. Até lá, quem tá embaixo pode subir e vice-versa, modificando qualquer projeção. Mas uma coisa é certeza: Zé Ricardo e seus comandados ainda não chegaram no melhor do que podem apresentar.

Bruno Guedes é músico, apaixonado por futebol e beisebol. Brasiliense por certidão e carioca de coração, acredita no futebol brasileiro e tem Romário como o maior jogador que viu dentro das quatro linhas.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook