Últimas

O que mudou na Seleção Brasileira desde a Copa do Mundo de 2014?

Dois anos depois, o Brasil tem a chance de conquistar a primeira medalha de ouro de sua história diante do mesmo rival que o humilhou no mundial

Há dois anos o futebol brasileiro passava por um dos piores momentos de sua história, talvez o pior. A derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014 foi surpreendente. Uma ferida que ainda não se fechou e que dificilmente se fechará.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Neymar não terá descanso após Rio2016 | O quarteto fantástico da Seleção | Renê Simões refefine “monstruosidade”


 

Este jogo será lembrando durante anos, passado de geração em geração aos amantes do futebol, dificilmente algo assim se repetirá entre duas seleções com tanta história.

 


(Foto: Getty Images)

 

Desde a trágica eliminação, a Seleção Brasileira passou por muitas mudanças. O primeiro passo foi a saída do técnico pentacampeão do mundo, Luiz Felipe Scolari. O escolhido para assumir o cargo foi Dunga, com a principal missão de resgatar o orgulho e o amor à camisa.

 

Em seguida, alguns jogadores tiveram seu ciclo encerrado na Seleção, como o goleiro Júlio César e o atacante Fred, o último muito criticado após o vexame. Outros nomes como Bernard, Hernanes, Henrique, Jô e Maxwell nunca mais deram as caras. O zagueiro e capitão Thiago Silva não fez parte dos planos da era Dunga.

 


(Foto: Getty Images)

 

No ano seguinte, na disputa da Copa América, primeira competição oficial depois da Copa do Mundo o Brasil decepcionou e caiu nas quartas de final para o Paraguai, e as críticas por conta do 7 a 1 voltaram com força.

 

O início nas Eliminatórias também não foi nada promissor, e diante de um 2016 com calendário cheio o Brasil optou por se agarrar a chance de conquistar o inédito ouro olímpico no Rio ao lutar pelo título da Copa América Centenário.

 


(Foto: Getty Images)

 

O trabalho começou a ser feito, mas a eliminação precoce na Copa América Centenário as fracas atuações do Brasil custaram o emprego de Dunga.

 

Com a torcida sem esperança, o entidade deu sua última cartada e tentou a contratação do técnico Tite, prefiro de boa parte do povo brasileiro para assumir o comando da Seleção.

 


(Foto: Rafael Ribeiro / CBF)

 

Tite topou o desafio mas pediu para não comandar o Brasil nos Jogos, deixou a cargo de Micale, o treinador que estava a frente do projeto. 

 

Micale agradou com seu jeito humilde e o brilho nos olhos com a missão de contribuir para o futuro do futebol brasileiro. A renovação tanto pregada depois da eliminação para a Alemanha pode acontecer agora.

 


(Foto: Getty Images)

 

Neste sábado(20), uma promissora geração pode marcar seu nome na história e começar a escrever o retorno do Brasil ao topo do mundo. Neymar, Gabigol, Gabriel Jesus, Luan e terão a missão de diante da própria Alemanha conquistar a primeira medalha do futebol brasileiro em Jogos Olímpicos.

 

Jovens talentos que arrancam sorriso dos torcedores e demonstraram nos dois últimos jogos o futebol alegre que o brasileiro gosta de ver.

 

Depois dos 7 a 1 pouca coisa mudou de fato no nosso futebol mas a conquista da medalha de ouro pode ser, enfim, a grande mudança que o Brasil precisa para se reerguer e voltar ao topo do mundo.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook