Últimas

Onda de ataques no Rio Grande do Norte completa três dias

Criminosos atearam fogo no Morro do Careca, um dos cart
Criminosos atearam fogo no Morro do Careca, um dos cartes-postais da capital, localizado na praia de Ponta Negra. Foto: Skye Imagens Areas/Reproduo

A série de ataques criminosos em Natal e outras cidades do Rio Grande do Norte chegou à sua terceira noite neste domingo. Criminosos atearam fogo no Morro do Careca, um dos cartões-postais da capital, localizado na praia de Ponta Negra. Os bandidos também incendiaram dois carros e três motos no pátio da STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana), e colocaram fogo em um posto da Polícia Militar na região metropolitana.

O presidente interino Michel Temer autorizou ontem o envio de tropas do Exército para ajudar a garantir a segurança da população no Rio Grande do Norte, em meio aos recentes ataques a ônibus e prédios públicos, cometidos, segundo o governo local, em retaliação à instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim, em Natal.

A autorização foi assinada por volta das 18h atendendo a pedido do governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria. Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, os militares serão enviados para “auxiliar as forças de segurança do estado”, que, desde sexta-feira, registrou 54 ocorrências de vandalismo e depredação, a maioria de incêndios a ônibus. Também há registros de disparos contra prédios públicos e explosivos em uma agência bancária.

Pelo menos 51 pessoas já foram detidas, suspeitas de participação nos atentados, entre elas um traficante que é apontado como articulador dos ataques pelo Setor de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte. De acordo com o órgão, João Maria dos Santos de Oliveira, 32 anos, conhecido como João Mago, foi preso ontem à tarde em um condomínio de Nova Parnamirim, na Grande Natal.

Na casa do suspeito, a polícia apreendeu R$ 300 mil em espécie, 20 tabletes de crack, 68 celulares, relógios, joias, duas pistolas – uma calibre 380 mm e outra .40, de uso restrito –, quatro carregadores e munições. O traficante estava foragido desde dezembro de 2015, quando escapou do presídio de Parnamirim usando um falso alvará de soltura. Ele cumpria por latrocínio, roubo majorado e formação de quadrilha.

Atuação

Na sexta-feira, quando os ataques começaram, Robinson Faria determinou que a “força policial aja fortemente para conter possíveis atos violentos de facções ou grupos criminosos”. Faria também determinou a criação de um Gabinete de Gestão Integrada, com todos os órgãos ligados à segurança pública, para monitorar as ações policiais em tempo real.

“Os casos que estamos vendo nas ruas são uma resposta dos bandidos porque instalamos, como medida preventiva, o bloqueador de celular no presídio de Parnamirim, para evitar que os apenados continuem emitindo ordens de dentro das unidades prisionais e crimes continuem sendo praticados aqui fora. Não vamos recuar. Vamos mostrar que o estado não está emparedado. Dei liberdade para a polícia trabalhar para defender o cidadão”, disse Faria. De acordo com a Secretaria de Segurança, há casos confirmados em Natal e mais 19 municípios do estado

A presença dos militares é aguardada pelo sindicato das empresas que atuam no transporte público de passageiros. De acordo com o presidente da instituição, Harley Davinson, “A circulação de ônibus está suspensa desde a tarde do sábado. A população está sem poder ir e vir. Mas não há segurança para colocar os veículos nas ruas sem o apoio da PM e do Exército. Há risco real contra as pessoas, sejam passageiros ou funcionários das empresas”. A expectativa é de que os veículos voltem a circular hoje a partir das 5h.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook