Organização criminosa agia em favor do prefeito de Catende, Otacílio Cordeiro

Otac
Otaclio Cordeiro foi preso em junho deste ano. Foto: reproduo/ Internet

Foi confirmada a formação de uma organização criminosa integrada por familiares do prefeito de Catende, Otacílio Cordeiro (PSB), e pessoas ligadas à Polícia Militar (PMPE) e ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), durante a 2ª fase da Operação Longa Manus. Realizada pela Polícia Civil, a investigação teve o objetivo de cumprir mandados judiciais contra suspeitos de tentarem obstruir as investigações da Operação Tsunami, deflagrada em junho deste ano e que prendeu em flagrante o socialista.

Durante o prosseguimento da Operação Tsunami, Paulo Augusto Cordeiro, filho do prefeito, e o coronel da PM, Adalberto Carvalho de Souza, tentaram interceptar e substituir o documento do processo criminal de Otacílio, com auxílio do funcionário terceirizado do TJPE, André Magno Santos. Durante as investigações foi também constatada a tentativa de agressão a uma testemunha da PC-PE, ordenada por Otacílio, Paulo e Miguel Alves Cordeiro Filho, sobrinho do prefeito.

O prefeito de Catende também é acusado de burlar a medida judicial de decreto de bens ao realizar uma transferência bancária para um escritório de advocacia, após decretada a própria prisão. Durante o encarceramento, foi também acusado de forjar um mal-estar para ser encaminhado a um hospital, onde permaneceu por duas semanas. A simulação dos problemas de saúde foi orientada por um médico amigo da família, que permanece sob investigação.

Paulo e Miguel, respectivamente filho e sobrinho do prefeito, estão presos, assim como o coronel da PM, Adalberto Carvalho de Souza. Já o funcionário terceirizado do TJPE, André Magno Santos, continua sob investigação. A filha de Otacílio, Jaqueline Alves Cordeiro, cumpriu mandado de condução coercitiva e será indiciada. Foram também conduzidos coercitivamente André Magno e dois “laranjas”. Durante a operação, foram apreendidos mais de R mil, um veículo, sete celulares, uma CPU, um notebook, cartões e extratos bancários.

OperaçãoTsunami
A conclusão do inquérito policial que condenou Otacílio Cordeiro (PSB) constatou que a Comissão Permanente de Licitações (CPL) do município de Catende fraudou 90% dos certames. O esquema, liderado pelo prefeito, contava com a participação da primeira-dama e Secretária de Ação Social, Maria José Alves Cordeiro, e do Secretário de Finanças, Ronaldo Alves Cordeiro, filho do socialista. Cerca de 30 pessoas estão sendo indiciadas pelo caso. Os valores e bens apreendidos serão leiloados para retornarem aos caixas públicos.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook