Últimas

Os veteranos estão de volta à cena política

Eles têm histórias parecidas na política. Não uma história que começou agora, mas que está relacionada aos seus antepassados ou a uma participação em movimento estudantil ou simplesmente ligada às raízes, no sentido de quem
contribuiu com o desenvolvimento do lugar onde nasceu. Políticos de
carteirinha? Eles dizem que não, tanto que desempenharam e desempenham outras atividades ao longo da vida. “É que a política está no sangue. Corre nas veias o desejo de ajudar as pessoas”, diz o agropecuarista Geomarco Coelho, 50 anos, candidato a prefeito de Dormentes, município de cerca de 20 mil habitantes, no Sertão do Rio São Francisco.

Geomarco não é caso isolado. Marconi Santana, Anchieta Patriota, Yves Ribeiro
e Diogo Alexandre, candidatos, respectivamente, às prefeituras de Flores,
Carnaíba, Igarassu e Chã Grande, pensam do mesmo jeito.

Em Carnaíba, a 417 quilômetros do Recife, o ex-prefeito Anchieta Patriota é
postulante à prefeitura do município. Veterano, o  médico de 59 anos, inscrito
há 25 anos no Partido Socialista Brasileiro (PSB), governou a cidade no período de 2005 a 2012. O aprendizado político deu-se quando fazia parte do movimento estudantil no início dos anos 1980. No currículo, tem ainda a seu favor o fato de ter sido vereador mais votado de Carnaíba em 2000 e em 2002 chegou a candidatar-se a vice-governador de Pernambuco na chapa encabeçada pelo engenheiro Dilton da Conti.

Doutor Anchieta, como é conhecido pelos conterrâneos, volta agora a uma nova
candidatura num momento em que só se fala em crise. “Momentos de crise sempre ocorreram. Os municípios estão falidos. Tem que haver pessoas que façam esse enfrentamento pela população, pois ela é quem sofre”, expõe o candidato. Como concorrentes na campanha majoritária, o veterano vai se deparar com o ex-prefeito José Francisco Filho, o Didi da Felicidade, pelo PTB, e com
Diógenes Gomes, pelo PV.

FLORES
Educação e saúde são duas áreas que o candidato à Prefeitura de Flores, no
Sertão do Pajeú e vizinha de Carnaíba, Marconi Santana, 49 anos, acredita que
exigem novos investimentos no município. O empresário, vinculado ao PSB, tem o
aprendizado político dentro da própria família. O pai, Wilson Florentino Santana, foi deputado estadual por três mandatos nas décadas de 1950 e 1960.

Marconi foi vereador em sua cidade, duas vezes, entre os anos de 1989 a
1996, e prefeito por dois mandatos de 2005 a 2012. Ele tem discutido projetos
que podem ser aplicados ao município, como a geração de emprego e renda. O
veterano terá pela frente uma forte adversária, a prefeita Soraya Morioka
(PR), que tenta a reeleição. Quando disputou a prefeitura pela primeira vez,
Soraya o derrotou.

IGARASSU
“Diga ao povo que volto para o bem”. O que poderia servir como slogan de
campanha na verdade é apenas uma das muitas frases de efeito daquele que tem mais de 20 anos dedicados à política. Aos 67 anos, Yves Ribeiro (PSB) volta à
cena, depois de um longo período de descanso, concorrendo à Prefeitura de
Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

O veterano e sua equipe estão nas ruas do município, visitando todos os
bairros. Paralelamente, uma equipe de pesquisadores tem levantado as
necessidades da comunidade.“Os projetos surgem da necessidade do povo”,
acredita Yves Ribeiro. Em Igarassu, o pleito municipal em 2016 promete ser dos
mais disputados com a concorrência do atual prefeito Mário Ricardo (PTB), que
busca a reeleição, e do também ex-prefeito Gesimário Baracho (PMDB).

OUTROS LOCAIS
No cenário político pernambucano outros veteranos também estão de volta. No
Cabo de Santo Agostinho, o ex-prefeito e ex-deputado Lula Cabral (PSB) é
candidato. Em Lajedo, Antônio João Dourado (PSB), que já governou a cidade por
12 anos, estará na disputa do Executivo municipal, em São Caetano, o
ex-prefeito Jadiel  Braga (PSDB) concorrerá às eleições 2016, em Abreu e Lima,
o ex-prefeito Flávio Gadelha (PMDB) estará na disputa e em São José do Egito,
o veterano Evandro Valadares (PSB) também está na disputa.

Arte/DP
Arte/DP

Investimentos na zona rural
Outro veterano que também estará novamente se lançando a prefeito nas próximas eleições é Diogo Alexandre, 39 anos, do Partido da República (PR), de Chã Grande, a 83 quilômetros do Recife. Ele tem visitado as comunidades rurais,
procurando mapear as necessidades de cada uma. “Tem que haver este
entendimento. Não existe um pacote de soluções dadas por um partido. É
necessário ouvir a comunidade. A plataforma de governo vem das necessidades
apontadas pela população”, acredita o candidato. Diogo esteve à frente da
Prefeitura de Chã Grande por dois mandatos, entre 2005 e 2012. Em 2016, Diogo
deve enfrentar o atual prefeito Daniel Alves de Lima (PSB), que disputa a
reeleição.

Nem o conturbado momento político tira o ânimo do pré-candidato às próximas
eleições. “As pessoas desacreditaram dos políticos. Mas isso nos motiva a
continuar e mostrar que dentro da política devem estar aqueles que podem fazer
a máquina funcionar, trazendo ações concretas para as suas cidades”, defende
Diogo Alexandre.

DORMENTES
Em Dormentes, quase no fim do estado, Geomarco Coelho  (PSB) tem um discurso sedimentado na experiência como primeiro prefeito do município, de 1993 a 1996, e em mais outros dois mandatos, de 2004 a 2008 e de 2009 a 2012. “O político não pode ser inventado, criado. Ele é destinado para isso: cuidar dos que moram no seu município”, observa o veterano.

Com apenas 24 anos de fundação, Dormentes deve ter uma disputa acirrada na
campanha majoritária. De um lado, o atual prefeito Roniere Reis (PMDB), que
tenta a reeleição, e do outro, Geomarco Coelho, que quer governar o município
pela quarta vez.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook