Últimas

Pastor proíbe caça a pokémons durante cultos em igreja


9/08/2016 – 13:00


‘Não é que eu ache que Pokémon é coisa do diabo’, diz Agostinho Gonçalves




Pastor proíbe caça a pokémons durante cultos em igreja
Pastor proíbe caça a pokémons durante cultos em igreja

Quando o jogo “Pokémon Go” foi criado, convencionou usar lugares reais como Pokéstops, locais onde os usuários podem coletar pokébolas e outros itens. O mais comum é que sejam locais públicos, que atraiam muitas pessoas, isso inclui igrejas.

No Brasil, onde o jogo também se tornou febre, algumas lideranças religiosas começaram a se preocupar com a situação. O pastor da Catedral Batista do Bosque, sediada em Rio Branco, Acre, proibiu os fiéis de jogarem durante os cultos.  Agostinho Gonçalves, de 56 anos, soube que sua igreja é uma “Pokéstop”. Usando seu perfil no Facebook, mandou um recado claro: “Proibido caçar Pokémon na Celebração da Catedral”.

Em entrevista ao G1, faz questão de explicar: “Não é que eu ache que Pokémon é coisa do diabo, não. Não tenho nenhuma preocupação com isso. Inclusive não acho anormal um adolescente caçar pokémons, só que dentro da celebração não pode. Uma questão de respeito a Deus, não é nem a mim”.

Para ele, “É um aviso bem-humorado”. Explicando a iniciativa, ressaltou: “Pedi que durante a celebração isso não acontecesse, mas, com isso quero dizer também que durante a celebração não é para as pessoas ficarem olhando o Facebook e outras redes sociais”.

Embora não tenha presenciado nenhum treinador Pokémon durante os cultos, o pastor diz que esse “É um aviso preventivo”. “Uso internet dentro do culto. Pode ser acessada, deve ser acessada, se isso tem a ver com a finalidade dessa celebração”, esclarece.

Campanha Pokémon Go Igreja

A Arquidiocese de São Paulo, por exemplo, lançou a campanha #PokemonGoIgrejaSP, onde pede que os jogadores enviarem fotos de Pokémon capturados em igrejas de São Paulo para a página. O perfil oficial da instituição no Facebook irá publicar essas imagens.

O objetivo é reforçar o aspecto turístico dessas construções, além de atrair frequentadores. Mas ela faz a ressalva que a caçada não deve atrapalhar as missas.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook