Últimas

Propina bancou festas de administração do PSDB, diz investigação

Propinas pagas por empreiteiras fornecedoras da estatal de saneamento de Goiás (Saneago) pagaram despesas de partidos políticos, da campanha eleitoral ao governo em 2014, de organizações sociais e até festas no Palácio das Esmeraldas, comandado por Marconi Perillo (PSDB). Ontem, a Polícia Federal deflagrou a Operação Decantação, quando cumpriu ordens de busca e apreensão no PSDB local, e prendeu temporariamente o dirigente estadual do partido, Afrênio Gonçalves, e o presidente da Saneago, José Taveira Rocha, que trabalha com o governador pelo menos desde 1999.

Ao analisar uma amostra de R$ 80 milhões de R$ 1,2 bilhão em contratos com bancos públicos como BNDES e Caixa, auditores da antiga Controladoria-Geral da União (CGU) localizaram desvios de R$ 11 milhões, sendo R$ 4,5 milhões de prejuízo efetivo e R$ 7 milhões de perdas evitadas. Foram cumpridos 120 mandados judiciais em Goiás, São Paulo e Santa Catarina, incluindo 15 ordens de prisão preventiva e temporária (por cinco dias normalmente) e 21 conduções coercitivas. A Justiça determinou o afastamento da função de oito servidores e a proibição de comunicação entre nove envolvidos. A PF e o MPF não responderam ao Correio sobre eventual envolvimento do governador Perillo no caso.

“Parte era destinada a financiar partido político, dívida de campanha, recursos para pagar organização social e até bancar coquetéis no palácio”, contou o procurador Mário Lúcio Avelar, em entrevista coletiva. Ele disse que houve má gestão, porque obras como o sistema de abastecimento de Luziânia (Corumbá IV) e de esgoto de Goiânia (Meia Ponte), foram contratadas em 2007, mas até hoje não foram concluídas. “Evidentemente, uma organização que adquire esse porte, que detém o controle de uma companhia de peso como a Saneago, não surge de um dia para o outro. Nós temos notícia de que escândalos se sucedem há anos.” A assessoria do governo de Goiás disse que apoia as investigações, mas que as licitações são feitas legalmente e que “acredita na idoneidade dos diretores e superintendentes da Saneago”.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook