Últimas

PSB e PT alegam que Daniel Coelho usa da 'velha prática política'

Apesar de n
Apesar de no ser ilegal, a cifra, que representa 15,3% do limite de gastos, foi vista como uma postura embaraosa Foto: Tom Cabral/Divulgao

A prestação de contas apresentada pelo candidato a prefeito do Recife, Daniel Coelho (PSDB), que revela uma doação de R$ 1 milhão feita pela direção nacional do PSL – partido ao qual o candidato à vice, Sérgio Bivar, é filiado – gerou repercussões em outros partidos. Apesar de não ser ilegal, a cifra, que representa 15,3% do limite de gastos (R$ 6,6 milhões), foi vista como uma postura embaraçosa e contraditória do postulante tucano por representantes do PSB e do PT.

“Trata-se apenas de uma velha prática política, ainda muito presente sobretudo em alguns municípios do interior, onde o cabeça de chapa entra com os votos e o vice com o dinheiro da campanha”, disse o líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Waldemar Borges (PSB). O socialista afirmou, ainda, que a situação cria “um grande embaraço”, já que, segundo ele, desde a eleição passada Daniel Coelho tenta passar a imagem de alguém desvinculado das velhas práticas. “Se na eleição passada ele tentou se mostrar como alguém sem ‘padrinhos’, embora dentro de um bem estruturado PSDB e com o apoio velado de várias lideranças tradicionais do estado, nessa vai ficar mais difícil vender a imagem do novo”, argumentou.

Presidente municipal do PT-Recife, Demetrius Fiorante considerou o discurso do tucano contraditório. Por meio de nota, a Executiva municipal considerou que a aliança entre o PSDB e o PSL foi “baseada em acordos financeiros, feitas por herdeiros de uma elite política velha e eleitoralmente derrotada”. O presidente não questionou a legalidade do valor, mas afirmou que é preciso se fazer uma campanha transparente. “Achamos que a política tem que ser aberta e transparente, e não apenas conchavo para chegar ao poder. Isso acontece em nível nacional e local também”. A candidata do DEM, Priscila Krause, preferiu não comentar o assunto.

Questionado, Daniel Coelho disse que espera uma fiscalização por parte do Ministério Publico, Justiça Federal e Polícia Federal às demais candidaturas. “Nós estamos fazendo campanha com 100% de recursos declarados, como manda a lei, com recursos de fundo partidário. Eu estou vendo as campanhas dos adversários nas ruas, com comitês suntuosos, em espaços caros, e zero real declarado.” O tucano argumentou ainda que sua campanha foi a única que declarou recursos. “Nós vamos declarar 100% dos recursos recebidos, não vamos aceitar nenhum tipo de doação irregular. A gente vai trabalhar até o final (da campanha) dentro da lei.”

Caminhada
Na segunda semana da campanha para prefeito do Recife, Daniel Coelho começou fazendo caminhada em Água Fria e na comunidade do Córrego de São Sebastião, também localizada no bairro. A estratégia do tucano é intensificar o ritmo em relação à primeira semana, quando fez outras caminhadas, nas zonas Norte e Sul, e panfletou suas propostas. Nos próximos dias, além das ações de rua, Daniel pretende participar de seis debates temáticos que foi convidado, sendo quatro no mesmo dia. O prefeiturável também aposta nas inserções de TV e rádio, que começam sexta-feira.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook