Últimas

Suspeito de estuprar e torturar filha de 12 anos é preso na cidade de Craíbas

Cledisvaldo José dos Santos violentava a própria filha; crimes começaram quando ela tinha nove anos

 

A Polícia Civil (PC/AL) prendeu, na manhã desta quinta-feira (4), um suspeito de estuprar e torturar a própria filha, de apenas 12 anos. Cledisvaldo José dos Santos, conhecido como Capilé, de 35, foi detido na cidade de Craíbas, no Agreste, depois de o mandado de prisão preventiva ter sido decretado pela Vara da Infância da Comarca de Arapiraca.

Segundo os autos, a violência sexual começou quando a menina tinha nove anos de idade. Os estupros aconteciam de forma continuada contra a vítima, J.S.S, na casa da família. Além do pai, ela morava também com dois irmãos, de 13 e cinco anos. Já a mãe possui problemas psiquiátricos e encontra-se internada.

As investigações foram realizadas pelo 62º Departamento de Polícia, localizado na cidade onde o suspeito foi preso. Conforme Inquérito Policial nº. 027/2016, a criança era estuprada em média três vezes por semana e, em depoimento, ela contou que o crime acontecia sempre no período da noite.

Ela também disse que, durante o ato sexual, Cledisvaldo tirava toda a roupa e cometia os abusos e, depois de um tempo, resolveu contar tudo para uma amiga, que aconselhou que ela revelasse os fatos a um adulto. A menina procurou a diretora do colégio e uma professora, que acionaram o Conselho Tutelar.

A menor foi encaminhada para a delegacia, para realizar exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, o que comprovou a materialidade do ato. Ela atualmente reside com a avó materna.

As investigações revelaram ainda que o denunciado torturava física e psicologicamente a vítima com a intenção de que ela confessasse, à força, que se relacionava com colegas de escola, a fim de ocultar os crimes cometidos por ele. Além de proibir que ela estudasse por duas semanas, Cledisvaldo ainda queimou o corpo da filha.

Segundo a criança, às vezes o pai também passava a madrugada toda mantendo-a acordada para que ela confessasse paquerar colegas de classe. Tanto a diretora quanto a professora da unidade escolar afirmam, porém, que a menina jamais se relacionou com meninos do local.

A diretora relatou à polícia ainda que a menor chegou a mostrar lesões cicatrizadas nas pernas e que certo dia chegou na escola com a mão queimada, machucado causado aparentemente por óleo quente. Ao ser indagada, ela afirmou que o próprio pai havia causado o problema.

Após negar a autoria do crime, ele foi embora e não voltou mais para casa. A prisão, efetuada pelo delegado regional de Arapiraca, Gustavo Xavier Nascimento, aconteceu na casa do irmão, na Rua Salustiano Nunes, onde estava morando. Além do 62º DP, também participaram da ação policiais do 4º e do 53º Distritos Policiais.

Cledisvaldo José dos Santos foi denunciado pela Promotoria da Infância por ter cometido os crimes de estupro de vulnerável e tortura.

 

 

Gazetaweb.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook