Últimas

Um quarto das grávidas atribui microcefalia a Deus, diz pesquisa


5/08/2016 – 19:00


Quase um terço das gestantes compreende a decisão da mãe que aborta bebê com malformação cerebral




Um quarto das grávidas atribui microcefalia a Deus, diz pesquisa
Um quarto das grávidas atribui microcefalia a Deus

Evitar a contaminação com zika vírus para impedir que o bebê nasça com microcefalia foi a atitude tomada por muitas gestantes, mas algumas delas acha desnecessário se cuidar, pois é Deus quem decide se o bebê terá ou não essa condição.

O Instituto Patrícia Galvão realizou uma pesquisa com 3.155 gestantes de todas as regiões do país para mapear as demandas das grávidas brasileiras e também para identificar como elas têm lidado com o vírus zika.

De acordo com a pesquisa, uma a cada quatro grávidas acredita que Deus é quem decidirá se o bebê terá ou não microcefalia, por isso elas não acreditam que se cuidar poderá interferir na vontade de divina.

Há poucas informações para as grávidas a respeito da transmissão do zika vírus, um dos possíveis causadores da microcefalia. Nessa pesquisa, 45% das gestantes não sabiam que o vírus era transmitido pela relação sexual, hipótese já confirmada cientificamente.

Muitas temem se seus filhos nasceram ou não com microcefalia, tanto é que para 90% das entrevistadas anseiam por fazer o teste sorológico para confirmar ou descartar se já tiveram ou não a zika.

Outra informação relevante deste estudo é que para 27% das grávidas é compreensível que a mãe interrompa a gestação ao saber da malformação cerebral de seu bebê.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook