Últimas

Vereadores colocam sob suspeita contrato feito pela prefeitura de Canapi

Parlamentares acreditam que medida vai de encontro ao que dispõe a legislação de licitações

 

Os vereadores do município de Canapi, no Sertão de Alagoas, após pedirem informações sobre os gastos efetuados pelo vice-prefeito Genaldo Soares (PTB), preparam a criação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar a contratação de um banda de forró sem licitação para celebrar a emancipação da cidade. Os vereadores Cícero Silvestre (PMDB) e Urso Biano (PRP) realizaram diligências e encontraram documentos que comprovariam a irregularidade. Além do contrato com a banda, os vereadores colocam sob suspeição outras ações da administração.

De acordo com os vereadores, Genaldo Soares organizou uma festa, no último dia 22 de agosto, para comemorar a Emancipação Política do Município. Sem o procedimento burocrático obrigatório, neste caso a licitação prevista em lei, os parlamentares alegam que o gestor contratou a banda Cavaleiros do Forró para se apresentar na cidade. A suposta atitude ilegal teria acontecido quatro dias após ele tomar posse como prefeito de Canapi em substituição ao gestor afastado por decisão judicial, Celso Luiz (PMDB). Caso a CEI constate as irregularidades, Genaldo pode ter o mandato cassado pela Câmara de Vereadores. 

Documentos disponibilizados pelos vereadores e que embasam as denúncias apontam dois pagamentos no dia 22, um de R$ 13 mil e outro de R$ 45 mil. Dois dias depois (24), duas novas ordens bancárias foram emitidas com os mesmos valores, perfazendo um total de R$ 116. Para Cícero Silvestre, os dados iniciais que chegaram aos vereadores são assustadores. "Diante do que já conseguimos, os documentos comprovam o desvio de recursos. Só tem oito dias no governo e já encontramos um monte de coisas erradas. É preciso fazer algo", expressou o vereador. 

Suspeita de desvio

Outra questão que está sendo analisada pela Câmara é referente ao período em que Genaldo Soares comandou a Secretaria Municipal de Transportes, de 2013 a 2015. Outros documentos obtidos pelos vereadores colocam sob suspeita empenhos realizados pela pasta em nome de parentes e empregados do gestor. O pedido de esclarecimentos sobre as denúncias, que estão documentadas, já foram encaminhados ao atual prefeito. Agora, as respostas estão sendo aguardadas. 

Resposta

Ao tomar conhecimento das acusações dos vereadores, Genaldo Soares confirmou que contratou sem licitação a banda de forró. Segundo ele, o procedimento, apesar de não ter sido licitado, obedeceu todas as regras legais e necessárias. "Essas denúncias são de cunho político, todos sabem disso. Não há nada de ilegal. Foram dois pagamentos bem pequenos para realizar a festa de emancipação da cidade. Todos os pagamentos realizados por mim obedecem a lei", expôs o prefeito.

 

Gazetaweb

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook