Últimas
xx

Artigo: Arte no Restaurante Honjin por Fernando Moura Peixoto

O Japão oferece-nos o espetáculo surpreendente de uma sociedade oriental que mantém todas as formas exteriores da civilização ocidental; usando, com uma eficiência indubitável, a ciência aplicada ao Ocidente; cumprindo, por um esforço prodigioso, a obra de séculos dentro de três décadas – mas ficando, sociologicamente, no estágio correspondente àquele que, na Europa antiga, precedeu a era cristã de centenas de anos.”

– LAFCADIO HEARN/KOIZUMI YAKUMO (1850 – 1904)

いらっしゃいませ

IRASSHAIMASSE”

(Seja bem-vindo)

Arte nipônica, pictórica e gastronômica, pode ser desfrutada no Restaurante Honjin, na Rua São João Batista, 65, loja B, no bairro de Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro. Decorado com uma temática tipicamente oriental (quadros, adornos, adereços, lanternas e bambus, em paredes, teto e até nos toaletes) é administrado desde 1988 pelo pernambucano Manoel Cícero e sua família.

A casa completou 30 anos em 2015, constituindo-se num relevante ponto de encontro de artistas e intelectuais, como Regina Duarte, Renata Sorrah, Maria Lúcia Dahl, Maitê Proença, Fernanda Torres, Drica Moraes, Chico Díaz e Sílvia Buarque, Malu Mader e Tony Bellotto, Marieta Severo, Andréa Beltrão, Reynaldo Gianecchini, Kadu Moliterno, Walter Lima Júnior, Thiago Abravanel, Marcos Oliveira, Bruna Marquezine, Matheus Nachtergaele e a saudosa Marília Pêra (1943 – 2015), dentre tantos.

No Japão, durante o Período Edo (1600-1860), época do xogunato do clã Tokugawa, estalagens denominadas Honjin eram especialmente construídas para receber senhores feudais, nobres e militares.

Implementado em 1985 pelos mestres Tanaka e Ito, o primeiro dedicado exclusivamente à gastronomia nipônica em Botafogo, o Restaurante Honjin segue as tradições orientais e a arte milenar da culinária japonesa, utilizando ingredientes selecionados e de altíssima qualidade no preparo de refinadas iguarias, como Yakissobas, Niguiri Sushi Especial, Honjin Especial, Teppan de Frango com Legumes, Kappamaki, Tekkamaki, Shitake, Espetinhos de Camarão, Sukiyiaki, Gyoza, Tempura de Camarão e Hot Filadélfia, entre outros.

Aberto de segunda a sexta para almoço, das 12 às 15 horas; jantar, das 19h às 23h30. Aos sábados e feriados, das 19h às 23h30. Telefone: 2266-2714. www.honjin.blogspot.com

ほど いい 所ない

Uchi hodo ii tokoro nai”

(Não há melhor lugar do que nossa casa)

Os registros fotográficos realizaram-se entre 2011 e 2015, sempre à noite. E na trilha sonora do vídeo o lendário The Dave Brubeck Quartet interpreta “Koto Song”, de Dave Brubeck (1920 – 2012), e “Zen is When”, de Bud Freeman (1906 – 1991) e Leon Pober (1920 – 1971): Dave Brubeck , piano, Paul Desmond (1924 – 1977), sax alto, Eugene Wright (1923), baixo, e Joe Morello (1928 – 2011), bateria, em “Impressões Jazzísticas do Japão”, um LP que marcou época nos anos 1960.

– – – – – – – –

どうもありがとうございます

MAIDOO ARIGATOO GOZAIMASU”

(Obrigado, volte sempre)

Um japonês pode usar vestuário ocidental durante as horas de trabalho, mas, uma vez em casa, tira os sapatos, veste o quimono e senta-se no chão.”

ICHIRO KAWASAKI (s/d)

ふえるなんど もうら ぺいじおと

(Fernando Moura Peixoto)

Arte em Restaurante Japonês

Meu vídeo: http://youtu.be/ILAE2XdwdFE

Comentaram:

Misturar arte com culinária japonesa ficou ótimo. A trilha é excelente. Muito bonito. Bravos.” LAURO GOMES PINTO, radialista e produtor musical, Rio de Janeiro, RJ.

Fernando San. Frequento o Honjin há mais de 20 anos. Ultimamente, no entanto, tenho solicitado o serviço de ‘delivery’ por questão de comodidade. Gosto da casa, das iguarias servidas e do atendimento ‘nipo-cearense’.” RICARDO KOHN, gestor ambiental, Rio de Janeiro, RJ.

Salve Fernando! Obrigada pela homenagem! Parabéns pelo texto saboroso. A música!!! Maravilha!. Quando eu for ao Rio, com certeza irei nesse restaurante. Parabéns mais uma vez, receba meu abraço, Magali Sã!” MAGALI KLEBER, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR.

Bela reportagem, Fernando! Obrigada! Quem sabe hora dessas vou conhecer este restaurante?” FRANCE GRIPP, professora, escritora e literata, Belo Horizonte, MG.

Olá, Fernando, tudo bem com você? Parabéns, a reportagem ficou lindíssima, as fotos, ótimas!” FÁTIMA DE OLIVEIRA, funcionária do Honjin, Rio de Janeiro, RJ.

Caro Fernando. Que lindas histórias nos trazem vocês. Sou apaixonado pela culinária chinesa e japonesa. Ficou boa lição. Irei sem dúvida conhecer o Honjin, depois te conto. Muito obrigado. Abraços.” ABILIO FERNANDES, empresário e escritor, Rio de Janeiro, RJ.

Fernando, uma boa dica. Irei lá. Abraços.” RICARDO CRAVO ALBIN, musicólogo, escritor e acadêmico, Rio de Janeiro, RJ.

Oi, Fernando! Restaurante ‘famoso’ com as mesas descobertas, sem toalhas, tira até a vontade de comer. Parece restaurante para drinks. Pelo vídeo, o restaurante é um local de encontros de intelectuais da cidade, mas não me convenceu! Achei o lugar muito fraco.” MARIA JOSÉ DOS SANTOS PEIXOTO, assistente social, Rio de Janeiro, RJ.

Olá, Fernando, tudo bem? Cara, eu nunca tive curiosidade de entrar nesse restaurante, mas a partir de agora vou fazer uma visita e provar dos belos quitutes que você apresentou no vídeo. Abraços.” LOURDES COSTA COELHO, aposentada, Rio de Janeiro, RJ.

Ahan… Dar uma boa olhada em mais esse trabalho empolgante do Fernando me faz remeter a uma das maiores curiosidades que tive a oportunidade de observar: a diferença de hábitos e da culinária do Extremo Oriente para nossos hábitos e gastronomia ocidental.

Sushis e sashimis degustados num restaurante que há 30 anos encanta as mais variadas classes sociais é muito significativo… A decoração exótica é por si só um convite. Eu não gosto da culinária japonesa e dos alimentos crus, sempre preferi comida quente e mais tradicional, mas aprecio à distância essa arte. Arte oriental milenar!

Ótimo trabalho, uma pausa de calmaria em meio a um trânsito turbulento. Um dos mais contrastantes trabalhos do mestre Peixoto, ainda mais com esse sax ‘cool’ do Desmond…” CARLOS BILL, músico e jornalista, Rio de Janeiro, RJ.

Bonito registro fotográfico do restaurante!” CLÁUDIO MONTEIRO, engenheiro civil, Rio de Janeiro, RJ.

Como sempre, vemos uma linda e cultural homenagem à arte gastronômica que nos é acessível em Botafogo. Parabéns pela informaçāo e beleza.” MARIA SOUZA, cantora, bailarina e professora de dança, Caguas, PUERTO RICO.

Que delícia de fundo musical! Apreciei muito a arte nipônica e as paredes revestidas de madeira. Ar de aconchego!” JUSSARA NEVES REZENDE, escritora e literata, Machado, MG

Faz muitos anos que não frequento o Honjin. Não sabia que ainda estava aberto. Voltarei.” ANTONIO OSWALDO CRUZ, Rio de Janeiro, RJ.

Nunca lá fui, mas parece-me muito bem. O FM Peixoto é um tricolor de 1ª água que escreve e faz vídeos muito interessantes sobre o bairro de Botafogo e envia-nos.” RUI MOURA, sociólogo e editor do MB, Lisboa, PT.

Oi, Fernando. Um homem culto, que escreve muito bem, que divulga cultura e que está sempre atento às mais variadas formas de expressão artística, prestigiando-as e divulgando-as, através de fotos ou documentários. Abraços.” LÚCIA SENNA, escritora e cantora, Rio de Janeiro, RJ.

Fernando. Como são saborosas as suas crônicas! Botafogo tornou-se um bairro mil vezes mais atrativo para mim – apesar de ter sido moradora por alguns anos – através de seu apurado (atento) olhar de ‘insider’.

Estou curiosa em visitar a cozinha ‘nipo-cearense’ do Honjin. Irei em breve. P.S. Correção: cozinha japonesa e atendimento cearense. ‘Looks very good!’ Beijos.” DIANA GALVÃO PEIXOTO, jornalista e escritora, Rio de Janeiro, RJ.

Excelente, amigo Fernando. Os imóveis do antigo Via China são meus e estão para alugar. Você ganharia a comissão.” MAURO DE LIMA CAMARA, literato e acadêmico, Rio de Janeiro, RJ.

Fernando. Mais um excelente trabalho jornalístico, parabéns! Abraços.” PATRÍCIA SANTORO, médica, Rio de Janeiro, RJ.

Obrigado.” CÉSAR MAIA, economista e político, Rio de Janeiro, RJ.

Prezado jornalista Fernando Moura Peixoto. Seus comentários não somente deram vontade de conhecer a Arte no Restaurante Honjin, no bairro de Botafogo, como também experimentar a comida dessa tradicional casa, sob a direção há quase três décadas do pernambucano Manoel Cícero e sua família.

Pena que moro num outro estado! Quem sabe um dia… Abraços fraternos.” HELIO BEGLIOMINI, médico, literato e acadêmico, Tremembé, SP.

Fernando, muito em breve pretendo conhecer esse restaurante tão especial. Sou fã de comida japonesa! Parabéns, mais uma vez, por tuas matérias sempre ricas em informação! Excelente vídeo também!” MARIA INÊS GALVÃO, jornalista e escritora, Rio de Janeiro, RJ.

Texto bom, música boa… combinam com comida excelente!” ROGÉRIO LESSA, jornalista e compositor, Rio de Janeiro, RJ.

Oi, Fernando, li e gostei. Gostei mais ainda quando me levou no Honjin pra comer yakissoba de carne e frango. Eu postei a foto no Face e o pessoal morreu de inveja. Beijos.” KAREN OLIVEIRA, comerciária, Rio de Janeiro, RJ.

Ser alvo da apreciação de um cliente é satisfatório, mas misture a isso uma pitada de faro jornalístico e aprofundamento histórico….. é simplesmente maravilhoso !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Desta vez o Fernando colocou na mira de sua apreciação um restaurante japonês e com muita acuidade nos revela um texto previamente estudado e analisado, dando aos seus seguidores (da qual faço parte), um gostoso e pitoresco estudo de tradição e significado, o que combina magistralmente com os pratos da casa.

O que será que inspira tanto nosso amigo jornalista? Somente ele poderá nos responder. Parabéns por mais essa preciosidade.” MARCELO FRANCISCO, cantor, Rio de Janeiro, RJ.


 


 


 


 


 


 


 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook